Tag Archives: afro-descendente

Papo reto para os homens negros

Será que os homens negros  podem ser salvos ou devem se salvar?

Depois da morte do adolescente Trayvon Martin nos EUA, muito se discutiu sobre o porte de armas nos Estados Unidos, o país mais armando e com altos índices de mortes causadas por armas de fogo. Discutiu-se a violência urbana, o racismo, mas houve também quem falasse da vulnerabilidade  dos jovens negros diante à violência e uma certa auto-vulnerabilidade de comportamento.

O veredito de não-culpado atribuído a George Zimmerman, que matou Trayvon Martina tiros , não atiçou somente humanistas, progressistas e militantes,  a direita midiática também quis dar sua opinião sobre  o assunto. Do jeito deles.

SPOILING ALERT

Este blog a muito tempo tem como foco principal o desenvolvimento do indivíduo. Acreditamos e trabalhamos para a revolução humana (Kossen-rufu).  Não somos bobas ou estamos deixando questões como a pobreza, o genocídio da comunidade negra, o racismo e o racialismo de lado, enquanto perdemos tempo com questões menores e detalhes menos importantes diante da barbárie que começou a 500 anos quando a “civilização” chegou pra dar um rolê na África. O objetivo desse texto é propor questionamentos e melhoramentos voltados para o indivíduo e que podem refletir diretamente na comunidade.

O repórter da CNN Don Lemon em um de seus comentários sobre o caso Martin-Zimmermman, fez uma lista com cinco pontos importantes a serem discutidos pela comunidade e a serem considerados principalmente por jovens negros.  A ideia geral é que se estamos de fato vulneráveis, temos que nos fortalecer e não enfraquecer elos importantes. Claro que não sou intelectualmente desonesta nem falaciosa, tampouco sairia de rolê com esse jornalista, mas gostaria de dar minha opinião, praticamente irrelevante, porém com  força representativa, principalmente sobre a “desintegração da família afro-americana”. Note, que a paisagem do fato e os personagens  pertencem a outro país, mas fazem parte da cultura e do imaginário afro-descentende e certamente pode ser aplicado a nossa realidade.

Vejamos o que ele disse:

“A razão porque há tanta violência nas comunidades negras é a desintegração da família afr0-americana. Criados sem muita estrutura, jovens negros muitas vezes rejeitam a educação formal e gravitam em torno da cultura das ruas, das drogas, e das gangs. Ninguém os força a fazer isso, é uma decisão pessoal. Mais uma vez,  isso é uma decisão pessoal.”

Claro que além de beeem apriorista e simplista, este argumento tende a falácia. O pós-escravidão e o destino de seus descendentes é muito maior e complexo do que o destino de alguns. Essa parte do texto nem é tão legal, mas serve pra reforçar que, apesar de não concordar com a ideologia do jornalista, nem com o canal onde ele trabalha, nem com o grupo cultural que ele representa, estou de acordo com alguns pontos da lista a seguir. E também com a ideia de que a cultura gângster virou o mainstream dos jovens negros. Ser malandro, ser bandido, ser foda parece ser muito divertido nos clips, mas na vida real não é…

5 conselhos que podem ajudar indivíduos negros a serem mais respeitados e a se respeitarem mais

1 – Levantem suas calças

Sim. Levantem e agora.  Todos temos direito a individualidade, ao estilo, a cultura. A liberdade de poder se vestir como se quer é uma das mais preciosas MAS se você quer ser levado minimamente a sério, nesta sociedade, neste tempo histórico,  levante suas calças. De verdade.  Ninguém vai te levar a sério quando suas calças estão pelos joelhos e metade da sua cueca está pra fora. Tipo, não dá.

justin bieber efigenias

Ninguém é levado a sério com metade da cueca pra fora, filho. Ninguém

2 – Parem de usar a N. word

Parem, simplesmente parem. NÃO USEM MAIS. Pra você ter uma ideia, essa palavra surgiu nos Sul dos Estados Unidos quando os pretos eram queimados em árvores no sábado à tarde para divertir os brancos. Neste caso não aceito a reapropriação, sinto muito.  Me revolta ver jovens brasileiros, que mal são capazes de entender e interpretar uma letra de música repetida à exaustão em inglês, dizendo nigga isso, nigga aquilo. Para filho, não dá, você nem sabe do que está falando.  Capacite-se para  fazer essa escolha antes de sair falando como um ignorante. E se você é branco, pior. Para!

– Ah, mas o Jay Z e o Chris Brown falam!

Bem, um artista não necessariamente é um sábio ou alguém que está realizando ações para o seu benefício, não é mesmo? Jay Z e seus amigos ganharam muita grana com essa cultura de pseudo-reapropriação que consistia em tornar público e popular o uso de uma palavra criada exclusivamente para humilhar seres humanos,   pense bem. O  Barack Obama ou a Oprah Winfrey não são nem jamais falariam isso. Então para, não fique repetindo coisas demoníacas sem saber.

3 – Respeitem sua origem, não fiquem desdenhando

Ame e respeite seu bairro, sua quebrada, sua goma. E mais, respeite sua mãe que te criou enquanto seu pai estava ocupado demais para cumprir sua obrigação. Respeite sua avó que lutou para que você pudesse sobreviver.  Não seja nem machista, nem mal agradecido. É feio e você merece mais do que isso.

4- Terminem seus estudos

Se existe alguma forma de mudar a história da sua vida para melhor e que não tenha a ver com a sorte, é sem dúvida a educação. Não importa o que você queira fazer na sua vida, mas estude. Parece cafona, mas um diploma na mão faz sim a diferença. Faz a diferença pra sociedade, faz diferença para a sua comunidade, faz diferença para você mesmo.  Por maior que seja o esforço, faça! Vá em frente que certamente sua vida só será melhor. Por pior que seja o ensino, é sua escolha ser ou não mais um ignorante. Você não precisa ser um ignorante, nem repetir esse esteriótipo dentro da comunidade. Já era essa história, o lance agora é bem outro.

5 – Parem de ter filhos fora do casamento

Esse é o papo mais reto porque é a raiz de vários problemas sociais. Sabia que o plano de governo do Barack Obama, um dos pontos exigidos pelos eleitores eram ações voltadas a conter o problema causados pelos fatherless sons, ou seja, filhos sem pai?   Eu duvido, posso até apostar com  alguém que me mostre um problema social maior que a paternidade irresponsável e seus efeitos na sociedade. Para de ser estúpido e ficar se valendo de biologismos idiotas. Não, você não é um cachorro, você não é um garanhão, você não é um procriador. Você é um humano que deve sem exceção se responsabilizar pelo destino de seus filhos. Foda-se se você quis ou não ter filhos. Você teve. Foda-se se seu pai não te criou, foda-se se o pai do vizinho também não. Você mais que ninguém sabe o mal que isso causa, então não tente ser um animal, você não é. Para!  Evite ter filhos antes de poder ter uma família ou poder cuidar dele. Caso os tenha,  ame e responsabilize-se.  Muitas mães criam seus filhos sozinhas mas não tem que ser assim. A comunidade pode até te safar e aceitar seu comportamento, mas seu caráter e sua hombridade ficarão marcados. A sociedade exclui a mulher negra da mesma forma que criminaliza jovens negros a partir de ideias racistas e esteriótipos, mas aparentemente, as mulheres ainda assim conseguem ser mais responsáveis enquanto os homens ou se comparam com cavalos procriadores ou simplesmente aceitam o destino imposto pela sociedade. Chega.

Precisamos de lideres, alphas, homens fortes para tomarem essa situação pelas mãos e ajudar a mudar o destino da nossa comunidade.  Precisamos de vocês.

:: Efigenias ::

Contamos com vocês

1 Comment

Filed under Ação Afirmativa, Ideias sem acento, Motivação

Alpha bitch

Dona Lourdes, você é uma das nossas!


:: Efigenias ::

Porra, Jean!

Leave a comment

Filed under Efigenias, Fêmea alfa, One of Us

Terminologia

Usos e significados

Guia prático e préalable dos termos raciais

Em caráter de urgência, devido a série de idiotismos e barbarismos que tivemos contato nos últimos dias (clique AQUI e seja bem-vindo a Lixolândia), comentário sobre três termos entre os mais utilizados para designar pessoas étnico-racialmente.

“Las razas” no existen, ni biológicamente ni científicamente. Los hombres por su origen común, pertenecen al mismo repertorio genético. Las variciones que podemos constatar no son el resultado de genes diferentes. Si de “razas” se tratara, hay una sola “raza”: la humana. “Las razas” biogenéticamente, no existen, pero el racismo sí, como ideología.

José Marín González, Doctor em Antropología da Universidade Paris 1 Panthéon- Sorbonne

Cada um desses termos e outros mais serão tema de matéria individual (como já vimos N*) em momento oportuno.

Preto

Tais Araújo, atriz, brasileira, PRETA

Pessoa da raça negra.

Designa africanos e descendentes. É o termo que se utiliza nos países lusófonos, com exceção a Angola que segue o modelo brasileiro. No dicionário de português de Portugal preto é descrito como termo pejorativo.

A palavra em si tem conotação neutra, ou seja, pode ser tanto positivo e demonstrativo quando pejorativo. No Brasil, apesar de constar como sinônimo de negro,  muitas vezes é considerado pejorativo quando na realidade é o termo mais adequado para indicar africanos e afrodescendentes.

Francês: noir
Inglês: black*
Espanhol: negro*

 

Negro

Tais Araújo, atriz, brasileira, NEGRA

Negros são os pretos nascidos na América descendentes de escravos e escravos em geral. No Brasil é o termo mais popular e utilizado para designar afrodescendentes. De certa forma, a palavra representa origem comum, diferente do termo preto que está ligado, no subconsciente popular, à cor. À rigor, os pretos brasileiros são negros porque são descendentes de escravos e por isso mesmo muitos consideram o termo racista porque evoca diretamente à escravidão.

Podemos pensar a priori que  um brasileiro afrodescendente é negro, mas um africano preto, por não ser descendente de escravos. Porém  na língua corrente, negro e preto são sinônimos.

Francês: nègre termo fora de uso justamente porque remete a escravidão e não se ajusta a realidade dos afrodescendentes .

Inglês: negro mesmo caso do francês. A palavra foi rejeitada na época do movimento pelos Direitos Civis, justamente pela alusão a escravidão e hoje em dia é termo pejorativo
Espanhol: negro é o caso mais crítico da dialética palavra X representação. Nos países hispânicos negro não é somente pessoa preta, de origem africana, mas designa também o pobre, o segregado, o mais baixo da escala social, sem cultura, ignorante. É usado como adjetivo pejorativamente (“negro de mierda” mesmo que a pessoa seja branca). consequentemente designa populações de origem indígena não só pela pele escura mas por ser o pior do extrato social. Por outro lado, é também vocativo carinhoso, como a cantora Mercedes Sosa  que na Argentina tem o epíteto La Negra.

Mulato

Tais Araújo, atriz, brasileira, MULATA

Mulato é termo que designa os mestiços entre branco e negro. Historicamente o termo usado para qualificar animais e como o negro ainda é era tratado como mercadoria era também classificado dessa forma, sendo que quanto mais perto do branco, melhor.

No Brasil é sinonimo de mulher negra fácil bonita, voluptuosa, sensual. A dançarina símbolo do carnaval é um esteriótipo brasileiro. É   um dos eufemismos raciais para negra, uma forma de amenizar o fato (assim como morena, morocha, moreninha, mulatinha). O mulato que é um dos símbolos do Brasil miscigenado, é também um grande exemplo do racismo cordial à la brésilienne.

Francês: mulâtre tem origem no mulata do Português, ou seja, como se fora um produto, uma pessoa que é de origem branca, nobre e preta, escrava, inferior. É a clássica mistura de cavalo com mula. Lendo a definição de mulâtre me deu ainda mais vontade de esquecer essa palavra e partir pra outra.

Le terme mulato ou mulata est aussi utilisé en portugais pour désigner des métis mais au Brésil après 388 ans d’esclavage donc d’exploitation sexuelle des femmes noires,métisses et indiennes le terme de mulata est souvent synonyme de danseuse érotique de carnaval. Ces femmes sont parfois vues comme des femmes de milieu social pauvre et facile à séduire, toujours prêtes pour une relation sexuelle. (Afff ,é isso que você quer pra você?)

Inglês: mulatto pelo mesmo motivo dos outros idiomas, não pegou nos Estados Unidos, além da associação à escravidão. Os termos mais usados são várias da palavra mestiço como biracial, mixed. Dizem que o termo peca por ser amplo e não designar somente o mestiço de negro com branco, mas qualquer mistura racial. Mas cá entre nós, nada como um predicativo para salvar a história, basta dizer mestiço de branco com negro.

Espanhol: mulato os espanhóis que começaram com a idéia de categorizar pessoas como mercadoria. Então o mulato uma produto da cruza entre o branco e negro.

Obviamente que aqui no Efigenias a liberdade é ampla e respeitamos o direito de cada pessoa se designar da maneira que quiser. Só queremos remarcar a importância dos significados, usos e representações das palavras.

Na próxima edição:

POLÊMICA: Black é racismo ou afirmação?

Fique a seguir com o Bofe do Domingo.

Bom final de noite :)

ps.: e para aqueles que amam odiar, gritar e espernear, dêem crédito às horas infinitas sentada nas bibliotecas do mundo e navegando em sites mil. Na humildade.

5 Comments

Filed under Ação Afirmativa, Afrodescendente, Black

Estilo

DÂNDI . Dandy . Dandio

O príncipe nasce como tal, o Dândi segue o que é sua vocação natural

 

« Aucun crime n'est vulgaire, mais la vulgarité est un crime. La vulgarité, c'est ce que font les autres. »— Oscar Wilde

 

Pouco laureado na cultura brasileira, o Dândi é o estilo adorado pelos mais finos. Dândi é o seguidor do dandismo que é uma doutrina de elegância e excelência fundada no século XVIII no Inglaterra pela elite intelectual e que teve seu auge no século XIX na França.

É o cavalheiro perfeito, reconhecido por sua elegância e senso estético no vestir e em suas boas maneiras. No estilo, o Dândi remete ao visual formado por alfaiataria e cortes clássicos em tons neutros como preto, marrom e cinza, combinado com acessórios como relógio, chapéu, bengala, guarda chuva, colete e luvas. Um luxo que amamos.

 

Baudelaire identifie le dandysme comme le « dernier acte d'héroïsme » possible, recherche de distinction et de noblesse, d'une aristeia de l'apparence.

 

♣ Dândis originais:

George Beau Brummel, Oscar Wilde, Lord Byron

♥ Dândis modernos:

Justin Timberlake, Peter Doherty, Albert Hammond Jr, Usher

♦ No Brasil:

Marco Mion e Chico Bento

.

.O verdadeiro Dândi não se prende a padrões culturais, é cavalheiro naturalmente, não se importando com o modus operandis do macho vigente. Dado às artes e às contemplações estéticas do belo e do bom, o Dândi se destaca entre os outros homens, pobremente masculinos. É um sucesso entre as cocotas de bom gosto como nós do Efigenias ( ;) ).

Além da aparência, o que mais encanta no Dândi é o cavalheirismo que é algo que não existe mais na nossa cultura. No Brasil cordial do caboclo amigão, o cavalheirismo foi pouco difundido e se perdeu no tempo. As famílias não ensinam mais os filhos a serem cavalheiros; nas escolas, isso não é assunto e na cultura em geral já passou.

Muitos homens se escusam dizendo que o feminismo acabou com o cavalheirismo. Meus caros, a essência do homem cavalheiro é imune a alterações externas. O feminismo é resposta ao machismo. O cavalheirismo é o auge da beleza e da virilidade de um homem. Ou seja, uma coisa não tem nada a ver com outra.

 

« Le Dandy doit aspirer à être sublime sans interruption, il doit vivre et dormir devant un miroir »— Baudelaire, Mon cœur mis à nu

 

 

Alguns consideram o Dândi um excêntrico arrogante. Na origem pode-se dizer que é o dandismo é uma evolução do esnobismo na Europa do século XIX. O dandismo aconteceu antes da Revolução Industrial, assim que os homens podiam dedicar-se mais à elegância, já que não tinham que se vestir para o trabalho escrav0 assalariado. Sua vaidade e egocentrismo são baseados no conhecimento e delicadeza nas palavras e nos modos. Eram os burgueses que, mesmo não fazendo parte da aristocracia, se cultivavam a ponto de ser tão ou mais finos que os próprios aristocratas.

 

« Le mot dandy implique une quintessence de caractère et une intelligence subtile de tout le mécanisme moral de ce monde. » — Baudelaire, Le Peintre de la vie moderne

 

Por que um Dândi tem nossa preferência e merece nosso amor:

  • Abre sempre as portas e nos deixa passar na frente
  • Na calçada, anda sempre do lado da rua para nos proteger
  • Usa sempre relógio de pulso ou no auge do classismo, relógio de bolso
  • Usa chapéu, boina e suspensório
  • É sedutor sem ser cafa, xavequeiro, conquistador barato ou afins
  • Refinado, fala sobre artes, música, filosofia, literatura, tudo isso com charme, sem ser pedante.
  • Ao descer escadas, vai na frente para acudir a dama caso ela caia. Ao subir, vai na frente outra vez, dessa vez para não constranger a moça olhando para sua bunda ou diretamente sua calcinha se ela estiver de mini-saia
  • Tira o chapéu ao entrar em ambientes fechados, a mesa e ao cumprimentar pessoas
  • Beija a mão ao cumprimentar uma senhorita ♥
  • É sempre educado, mesmo quando alguém é mal educado ou deselegante com ele
  • Respeita e louva os mais velhos. Vê neles experiência e apreende sua boa educação
  • Ama todas as mulheres e as vê lindas em sua essência feminina
  • É muito bem asseado: unhas limpas, roupas limpas (pode parecer mentira, mas nós mulheres aguentamos cada coisa de alguns homens, afff!)
  • Valoriza a mulher, cede seu assento não para diminuí-la, mas porque a respeita em sua condição de mulher
  • Carrega as coisas dela como bolsas, sacolas, Mini PC e sombrinhas
  • Oferecer o casaco se estiver frio, e se ela não aceitar por educação, ele a cobre delicadamente
  • Escuta mais do que fala
  • Paga a conta  (SIM!)


Modernamente, podemos citar o malandro como uma adaptação tupiniquim do Dândi. Podemos também interpretar extensivamente e colocar no mesmo saco  o metrosexual e o mais coerente que é um movimento muito legal que começou na cidade Brazzaville no Congo e logo, se manifesta aqui em Paris, onde além de vários dândis liiiindos e charmants, há os também lindos Sapeurs, embaixadores do estilo Sape.

Cultivem-se meus jovens, um cavalheiro é sempre um cavalheiro.

1 Comment

Filed under Beleza, Black, Fashion

Por que o brasileiro odeia tanto as mulheres negras?

Como fazer uma dissertação à la francesa

  • A Problemática

Na capa do  site Terra.com hoje:

Torcida marca presença na vitória do Brasil sobre a Polônia

.

Na matéria uma foto de 4 mulheres NEGRAS MARAVILHOSAS que estavam na torcida da seleção de vôlei num jogo na Itália. Nos comentários, a lixolândia patrocinada, publicada e incentivada pelo site Terra, chama as mulheres de prostitutas. Baseado em que? COM CERTEZA PORQUE SÃO NEGRAS!

Eu poderia falar do homem em geral, da sociedade, do mundo secular, mas gostaria de saber por que o homem BRASILEIRO trata tão mal e desvaloriza as mulheres negras? Por que sempre somos tão discriminadas? Se somos feias, a segregação social, se somos lindas, somos prostitutas.

Alguém conhece no Brasil uma mulher negra que seja de verdade um ídolo? Você pode citar algumas (Tais Araújo por exemplo), mas nem se compara com qualquer mulher branca, mesmo que seja subcelebridade (dentro do mesmo exemplo, o autor Agnaldo Silva disse, quando Tais Araújo chegou ao auge de sua carreira ao protagonizar a novela das oito e ser uma das “Helenas do Maneco”, que uma Helena negra, não poderia ser  retratada como uma Helena “normal”, segundo ele).

Mulher negra não dá ibope no Brasil.

.

  • A Tese

John Lennon um dia disse que a mulher é o negro do mundo. A mulher negra é o negro até da cultura negra. A bióloga Fernanda Lopes, quem eu tive o grande prazer de conhecer na minha adolescência, liderou uma pesquisa relacionada as mulheres negras e o sistema público de saúde. As mulheres negras são as mais mal atendidas nos hospitais e postos de saúde do estado. Inclusive, muitos médicos diziam sentir nojo de tratar mulheres negras.

Esse descaso causa a morte precária e antecipada de muitas mulheres negras todos os dias. Agora, por exemplo.

A mulher negra é a mais discriminada no mercado de trabalho, principalmente entre 25 e 35 anos. Claro,  se somo máquinas parideiras, quem vai dar um emprego ou manter em um uma mulher negra se tem a mentalidade de que é uma mulher ignorante e promíscua e que certamente vai engravidar?

Para uma mulher negra chegar ao patamar de salário de um homem negro que, por si já ganha menos que um homem branco menos escolarizado, ela tem que estudar de 8 a 11 anos a mais!

Nunca me esquecerei uma vez que o Fantástico fez uma pesquisa para eleger a mulher brasileira mais bonita do século. As mulheres foram divididas em 3 grupos: loiras, morenas e RUIVAS (???)!

Você branco, já pensou como é conviver com isso tudo? Quando Luís Caldas e Tiriricas da vida fazem “músicas” jocosas e preconceituosas usando mulheres negras como tema, você já imaginou o que é escutar isso todos os dias na rua? O deboche e o riso velam o racismo por trás da letra e nós é que temos que aguentar.

John Mayer, pseudo-cantor americano disse que nunca ficaria com uma mulher negra, que seu pau membro era um símbolo da superioridade branca (oi?).

A revista americana Complex fez a lista das 50 mulheres brasileiras mais lindas conhecidas internacionalmente votadas pelo público. Entre elas 14 são negras e afro-descendentes, quase 30%. No Brasil, a revista VIP faz também uma lista anual das mulheres mais lindas. Em 2009, das 100 mais gatas da VIP, apenas 8 eram negras (8%)

.

  • A Antítese

Louvada na música popular, símbolo de força, luta e beleza, a mulher negra é uma das fontes da miscigenação do Brasil.  Nas religiões afro-brasileiras a mulher negra é a deusa, a guardiã da sabedoria, a mãe.

Uma unanimidade entre poetas e artistas, a mulher negra ocupa posição de destaque no imaginário da cultura brasileira.

.

  • Síntese

Eu concordo que o Terra não serve de parâmetro de nada positivo nesta vida. É o antro da lixolândia, Terra de ninguém, onde fala-se o que quer. O Terra dissemina o ódio racial, a intolerância e se vale de uma falsa liberdade de expressão de seus leitores para isso. É o mundo cão online.

Sempre me perguntei porque o homem brasileiro odeia tanto a mulher negra… Qualquer mulher negra tem mais histórias de discriminação racial e sexual do que  a população negra como um todo. Não temos direito a nada. O olhar de desdém das pessoas fere e agride nosso orgulho.

PRETAS, temos que nos unir contra isso, nos posicionar contra essa mídia que finge que não existimos. Quando nos dão espaço é por imposições legais ou por uma pressão  social que podemos fazer juntas!

O preconceito e os estereótipos persistem através do tempo. Morena, moreninha, cor de jambo, mulata, tudo isso é racismo mes belles, não se enganem! Chega de passar a mão na cabeça da brejeirice racista do brasileiro!

São muitos obstáculos mas NADA SUPERA NOSSA FORÇA!

ps.: a antes de gritar e espernear e dizer que o que digo é generalização barata, estude um pouco sobre a universalização dos fatos e fenômenos mais um pouco de retórica e depois cola aí pra gente trocar uma idéia.

ps.: antes de gritar, espernear e encher minha paciência, saiba  QUE ESTOU DE MUITO MAL HUMOR por conta disso!

Isso me deixa doente :(

Leia AQUI Nota de Repúdio contra o site Terra.com.br

:: Efigenias::

PRETAS DO CABELO DURO

59 Comments

Filed under As Efigenias, Internet, Opinião

O que rolou?

O que rolou essa semana?

Um pequeno weekly digest:

Teve o Tyson Beckford na Semana de Moda de NY.

O Kanie West e a Kelly Rowland também estiveram por lá.

♥ Por alguma razão  o termo mais buscado esta semana que levou/trouxe a esse blog foi…

“A Maior Cobra do Mundo”


Alguém tem alguma idéia relacionada a isso?

Whatever a parte, o título continua sendo da Tina Turner, cujo cabelo eu venho tentando imitar desde idos dos anos 80. Ela é o termo de busca mais traz o povo a esse humilde blog.

Deusa recitando o NAM-MYOHO-RENGUE-KYO rumo ao Kossen Rufu :)

♥ Saiu a edição de outubro da Revista Essence

Sem mais palavras, mas eu acho que eu sei como fazer qualquer um desses feliz. Juro, na humildade.

♥ E claro o novo hit da Rihanna e do David Guetta, Who’s that chick?

A bailar!

♥ Hoje rolou em Paris a “Lavage de la Madaleine”,

que é a lavagem-da-escadaria-do-senhor-do-bonfim em Paris, perto das galerias Lafayette.

É um barato como a cultura brasileira é forte em qualquer canto do mundo e como os franceses, em especial, amam o Brasil. Duvida? Então dá uma olhada:

É noix!

Biz ♥

Leave a comment

Filed under HOT NEWS, Internet, Out and About

Bom dia :)

Novidades

Coisas novas estão rolando no blog !

Nós (?) do Efigenias estamos muito contentes com a repercussão do blog e trabalhamos duro (?) para continuar crescendo a cada dia.

– Endereço: sim, mudamos, somos sérios agora, Efigenias agora é .org

– Contato: o email de contato com a gente é redacao@efigenias.org para sugestão de pauta, reclamação, desabafos e claro convites para festas, afinal é para isso que estamos aqui.

Muito em breve mais novidades diretamente de Paris para o mundo.

E para desejar um ótimo dia para todas as pessoinhas queridas que falam mal, criticam, dão bafão, mas estão sempre por aqui. “Êsse dois” para todo mundo!

“I dont care what bitches say!”

Biz! ♥

Leave a comment

Filed under Blosphera

Bofe do Domingo

Dustin Brown

Tenista

Origem:  alemão-jamaicano

Carreira: o jogador de Tênis mais bem sucedido da Jamaica.

O que contar para a familia: fala inglês e alemão, ocupa a posição 86 no Ranking a ATP e às vezes trabalha como modelo.

É para casar? Sim, porque é fofo e amamos esportistas.

1 Comment

Filed under Beleza, Black

OJO! na Moda

Existe moda na América Latina?

O que rola fora do eixo Paris – Milão – Nova York e orgulhosamente São Paulo?

Após um temporada em Buenos Aires, Sandra Cata volta a Colômbia onde junto com Laura Salgado e suas idéias estreia Les Recolettes – Estudio Moda Agencia de Modelos, de Bogotá para o mundo.

Empreendorismo criativo moderno, Les Recolettes buscam se destacar pelo cuidado estético, conceitual e  urbano.

Fresh and Clean.

Sandra Cata é também uma amiga querida, trabalhamos e badalamos muito em Buenos Aires. Chic e fina, é melhor observarmos de perto porque ela promete e muito!

Clique AQUI para ler a entrevista em Espanhol.

* O que e quem são Les Recolettes?

Les Recolettes Estudio Moda é um estúdio de produção e fotografia de moda que visa integrar produção de moda especializada, conceito tão pouco valorizado no mercado colombiano. Les Recolettes  é um espaço de pesquisa de moda onde além das produções, se faz pesquisas de tendência, stylehunter, coolhunting e artigos de moda para várias mídias. Com isto, provem a seus clientes um serviço completo, definido não apenas como algo estético mas sim como ramo da arte.

Les Recolettes são Sandra Guzman, produtora e jornalista de moda e Laura Salgado, fotógrafa. Sua incursão no mundo da moda começa com a marca de roupas e acessórios vintage Nela Sagu  e sua coleção Chic Vintage. Esta coleção, foi uma proposta inovadora na época, que trouxe para o mercado um recurso que ainda era desconhecido mas já tendências em cidades como Nova York, Buenos Aires e Londres. Tratava-se da reforma de peças de 2º mão e costumizá-las para que as gerações futuras pudessem utilizar.

Depois de terem sido publicadas no jornal El Tiempo, a revista Shock, GO Guia de Lazer e serem entrevistada pela expert de moda Pilar Castaño e o Body Channel, saem do país para expandir seus conhecimentos em Buenos Aires, Argentina envolvendo-se na cena bonaerense onde Laura Salgado  fotografa para Jack Daniel’s, Finlandia Vodka e agência Padre Comunicaciones e  Sandra Cata trabalha no  Buenos Aires Fashion Week (BAF) e faz algumas participações na Fox Latinoamérica sobre cores e tendências em design de interiores.

Em seu retorno a Bogotá, decidem se reunir para formar Les Recolettes Estudio Moda.

** Quais são as maiores influências de moda e estilo?

Definimos nossa influência dentro do gênero teatral e artístico onde juntamos referências visuais e estéticas como a revista Vogue Itália, que além de moda tem uma vertente cênica, assim como Eugenico Recuendo, Annie Lebowits e Ines van Lawswerde.

*** Quais são os grandes nomes da moda?

Galliano, Alexander McQueen, Coco Chanel, Elsa Schiaparelli e Yves Saint Laurent.

**** Existe moda na América do Sul?

Sim, existe a  moda, mas não há a tendência, dois conceitos totalmente distintos que no Sul não são totalmente diferenciados. Somente existe a moda no sentido da massividade.

***** Qual a diferencia da moda na América Latina e Europa e Estados Unidos?

A Europa se identifica com a nostalgia do passado: vinculam peças de diversas épocas e assim criam tendência. Nos Estados Unidos o lance é a massificação e um conceito pret-à-porter a última potência, onde a moda é um item de consumo massivo e urbano.

Na América Latina a diferença é no processo de produção e auto-identificação: suas origens fazem parte da criação e do design e agora tenta estabelecer uma base para evoluir no mundo da moda.

****** O que a moda  em São Paulo, Buenos Aires e Bogotá tem em comum?

A auto-identificação com suas origens. Tenta-se criar uma base protecionista e afirmativa através da moda.

******* Me fala sobre Les Recolettes Model Agency?

Este novo projeto quer injetar ao mercado modelos que satisfaçam as expectativas dos clientes por uma nova visão dos modelos. Nosso objetivo se baseia na exaltação dos traços, da diversidade. A idéia é abrir espaço para a diferença, fugindo do protótipo colombiano, não só pela imagem quanto pelo estilo que pode ser trash, punk, yuppies, etc…

******** Como é o homem e a mulher Les Recolettes?

São autênticos, mesclados com glamour e carisma.

********* Quais são os objetivos e os planos da marca?

Nos projetar não só a nível nacional e internacional, o que já começamos na Argentina. Queremos cobrir todos os âmbitos da moda de maneira integral e eficaz.

********** Há influência da cultura negra na estética buscada por Les Recolettes?

Sandra Cata é mestiça de negro e branco. Sempre vemos raízes e elementos afros em nossas produções. A cor, a ginga e talvez a força e a luta. A quantidade de recursos e opções da estética afro, como o style a as texturas.

Gracias amiga :) ♥

ps.: O Efigenias foi solicitado a retirar uma das imagens da matéria por “quebra de direitos autorais (?)”. Cumprimos e lamentamos prontamente.  Só não se  esqueçam de algo amiguinhos, um LINK vale mais do que mil palavras! ;)

1 Comment

Filed under Black, Fashion, One of Us

Meu querido diário – versão férias

Depois de férias chiquérrimas no Brasil e na Suiça, o novo QG do Efigenias fica em PARIS! Nem preciso dizer que J’ADORE,  estou muito feliz de estar aqui. :)

Como a vida até parece uma festa, não poderia deixar de render homenagens ao restaurante-bar-quintal- louge Hotseria na Rua Augusta (demais!comida caprichada, ambiente de boa, preços sinceros.) e o tão querido D-Edge On the Rocks.

Parecia um parque de diversão, de tão felizes que estavamos todos. Essa foto é do blog Tudo é Vaidade que clicou a editora do Efigenias na fila pra entrar.

Já na Suiza, em  Bassel fui barrada na fila do Kaserne, não consegui comprar ingressos pro show do Soulwax mas fui feliz na vida no festival open-air Viva com Agua. Clique aqui para saber mais sobre o projeto. Balada boa, a galera da night na Suiça é guerreira.

Decidi que em breve terei um canivete. É mais útil para uma moça moderna que você ousa pensar.

1 Comment

Filed under Música, Viagem

Balada * São Paulo

Projetos de gafieira agitam SP e renovam público

  • 17 de julho de 2010  – Jornal da Tarde
  • O quarteto do Projeto Vinagrete, criado há quatro anos, também gosta de reproduzir o clima das gafieiras pelos lugares por onde passa: dia 24, na Roda de Samba e Gafieira no Paribar, no Centro; e na Noite de Gafieira e Samba Jazz, no dia 24, no Miscelânea Cultural; e no dia 20 de agosto, no Espaço Urucum, ambos em Pinheiros. “Nossa proposta é que o pessoal vá para uma balada para dançar a dois. Existe um forte público de universitários que curte isso”, conta o vocalista Uribe Teófilo, 26 anos. O fato de eles repaginarem antigas canções também ajuda nessa nova formação de plateia.

Leave a comment

Filed under Música

Tantas cores…

Esmaltes: tantas possibilidades, o que escolher?

O blog Mistura Tudo fala sobre esmaltes, nossa relação de amor, ódio, cores e formatos.

Esse blog é uma graça, bem caprichado e as meninas umas fofas.

Eu admito que me custou um pouco acreditar que fosse possível escrever um blog sobre esmaltes, mas elas mostram que há ainda muito o que falar, pintar e borrar por aí.

O legal é que sempre há a comparação das cores dos esmaltes na pele negra e branca. Eu adorei esse cinza ai em baixo:

E para as que estão cansadas mas não podem largar  esse vício, há esmalte em canetinha, muito divertido para decorar. Do blog da Maureen Motta.

E para as mais modernetes, olha a Kelis de francesinha multicolorida. Quem arrisca?

1 Comment

Filed under Beleza

Estilo

Família Pinked-Smith na Première de Karate Kid em Londres.

Willow Smith é uma Efigenia.

1 Comment

Filed under Beleza, Cinema, One of Us

Blogsphera

WordPress Blogs sobre: Crespo

Blog em destaque: Efigenias!

:) !

Leave a comment

Filed under Blosphera

Dia do Rock

Quem conhece rock ‘n roll de verdade, se identifica com a atitude desse movimento transformador social (para mim omais importante do século passado) sabe do que eu estou falando. FELIZ DIA DO ROCK!

Um beijo a todos os rock  ‘n rollers de uma punk kid :)

The Noisetteses

Shinga Shoniwa doesn't upset the rhythm

Don't fart in my heart

Hedwig

Tina Turner

Rainha, rock chick e budista

The GO!Team

yeah yeah yeah yeah yeah

1 Comment

Filed under One of Us

Concurso

Esta é do site da Daniela Salú, Cabelo Bom:

Crespro Pride! Participe!

1 Comment

Filed under Negas do cabelo bom

Out and About

Estelle e Angelonfire

Estelle e Angelonfire no Essence Music Festival sábado passado em New Orleans.

Leave a comment

Filed under Out and About

Aplique free é tendência

Cansou das extensões, alongamentos e afins?

Para infelicidade de Tania Vinhas do blog HairExperts o A.P.H.E.T já é tendência!

Falo do corte de cabelo que eu carinhosamente chamo de After-Prolongated-Hair-Extensions-Timeout hair style. Que quem usa extensões como eu há muito tempo, agora tem uma opção viável para lograr se livrar desse tormento  caro, doloroso e viciante que é a extensão de cabelo em suas várias modalidades.

O comentário do blog citado acima foi para a pequena Willow Smith, filha do Will and Jada Pinked Smith que apareceu toda estilosa com esse estilo de cabelo no red carpet da première do filme do irmãozinho Jaden Smith, o remake do clássico Karate Kid.

Trata-se de raspar as laterais da cabeça, normalmente com fios curtos e danificados pelos processos de extensão e deixar a parte de cima, que normalmente é mais comprida, como se fosse um moicano ou aquele corte curtinho das pin ups.

Eu adoro e as nossas divas também! Dá uma olhada abaixo em quem pediu férias das longas horas nos salões de cabelereiro fazendo o famoso nó italiano e mesmo as ultra-modernete que usam lace wig. É uma boa porque com o cabelo curtinho fica  mais fácil de tratar e cuidar do crescimento do cabelo.

Eu estou quase me rendendo a moda. Semana passada raspei as laterais e vocês não sabem o alívio (olha a foto), porque o cabelo fica mais “organizado” digamos, sem aquela parte que metemos atrás da orelha sempre. Ficou ótimo, com uma pegada roqueira, minha cara!

É…depois de ver essas fotos, o duro é escutar que não fica bem em niguém afff  ; )

Bisous!

 

:: Efigenias ::

O importante é ser quem se é

2 Comments

Filed under Batalha de cabelos afro, Beleza, Negas do cabelo bom

Cinema – κίνημα – kinema

The Modern Racist Paradigm

é um documentário superinteressante e até chocante sobre a evolução dos paradigmas do racismo e como  as caraterísticas de sua expressão se transformaram ao longo do tempo junto com a sociedade. O papel determinante de todas as mídias no processo de manutenção  e propagação do preconceito de cor e raça etnia.

 Efigenias Bamboozled

O gênio Spike Lee também trata do mesmo tema em

Bamboozled

, filme de 2000. Damon Wayans é Pierre Delacroix um executivo de um canal que ao expor o racismo e os esteriótipos repetidos pela televisão num Ministrel Show , acaba se surpreendendo com o êxito público e comercial de sua proposta e suas consequências.

:: Efigenias ::

À voir absolument

É um documentário superinteressante e até chocante sobre o paradigma moderno do racismo que evoluiu com o tempo e a socidade, e o papel determinante de todas as mídias no processo de manuntenção  e propagação do preconceito

3 Comments

Filed under Afrodescendente, Cinema, Mogul