Tag Archives: França

Onde não ir

Um guia de turismo ao contrário

Onde não ir em PARIS

Social Club

no social

Era a balada do meu coração. É chamada A-Social/AntiSocial pelos parisinos.

Pra fazer balada em Paris tem muitas regras de politesse: como se vestir, com quem estar, como se comportar. Mas o mais absurdo é umalei que permite que a casa escolha sua audiência. Na prática é assim: um segurança pateta, em geral mal-educado e arrogante escolhe quem pode em não cair na pista.

Baseado em quê??? Pelo  que eu conheço da humanidade imagino que seja racismo, machismo, preconceito de origem, ignorância e coisas fofas do gênero.

Não vá ao Social Club (apesar da balada ser boa para os padrões franceses)

O preço médio da entrada é 15 euros que pode variar de grátis até 30 se tiver algum show.

Com essa $$$ você pode…

♣Comprar um adesivo para Mac qualquer computador na Vynilville e ser uma pessoa verdadeiramente charmosa

♣Comprar 10 passes de metrô de Paris mais 3 bagettes e ir pra qualquer outro lugar

+

Ou melhor ainda

♣Ir no museu do Louvre nas noitadas e perceber que cultura também é balada (pois é) e ainda sobra um troco

É  por essa política injusta e outras pataquadas das bouatis de Paris que é cidade é bem boring de balada!

:: Efigenias ::

Social Club não.

Advertisements

Leave a comment

Filed under Opinião, Out and About, Viagem

A história da vadia do supermercado ou Deixa meu cabelo em paz!

Drama, suspense, reflexão

Minisérie auto-biográfica sobre o dia-a-dia da editora chefe do Efigenias.org em Paris.

Haja fígado!

:: Efigenias ::

Na tela da tv no meio desse povo

15 Comments

Filed under As Efigenias, Internet, Negas do cabelo bom

Metalinguagem {♥} Links

{♥}

Just lovely

Le blog de Sofia

∫Doçura em forma de URL

:: Efigenias :: Links :: Tá na Moda ::

 

Leave a comment

Filed under Blosphera, Efigenias, Internet

Bofe do Domingo

Ali Soumaré

Escritor, homme-politique

Origem: Afro-francês

Carreira: Ativista do Partido Socialista francês

O que contar para a família: Polêmico, provocador e secretário federal do partido, acaba de lamçar seu primeiro livro.

É para casar? Espero que sim, mas depois de eu terminar de ler o livro dele, eu confirmo se sim ou não.

Leave a comment

Filed under Afrodescendente, Beleza

Protesto

Quer protestar? Pegue toda sua raiva e tenha uma grande IDÉIA.

Já que nossa indignação é uma mosca sem asas, inspire-se e aprenda a andar com suas próprias pernas.

Você é daqueles que acha que faltam ideais, causas para lutar? Escolhemos algumas:

Você pode protestar pela limpeza e conversação de uma grande megalópole…

Por uma Porto Alegre mais limpa

Tá, você não é de Porto Alegre, mas vive em outra grande cidade, pode protestar contra as multas de trânsito…

Homem compra site da polícia para reclamar

Nem um nem outro? Que tal protestar pelo direito de escolha das mulheres?

Estudantes francesas protestam contra a lei anti-burca

Contra o capitalismo é uma boa, afinal, se o que importa é o capital, cadê a grana???

Pela diversidade. Chega do mesmo!

Desfile-passeata Fashion Mob reúne centenas de pessoas no centro de São Paulo

Leave a comment

Filed under Internet, Opinião, Out and About

Recordar é viver

Onde estão as modelos negras?

Segundo Naomi Campbell houve avanços, mas seguimos preteridas nas passarelas e anúncios publicitários

Em 17 de novembro de 2009, Naomi Campbell veio até esse blog reclamar da falta de modelos negras no mundo da moda. Um ano depois, nada mudou e aqui está a übermodel novamente pra dizer mais uma verdade inconveniente: a moda, assim como a sociedade, assim como o mundo é racista.

O mundo da moda ainda é racista, diz Naomi Campbell

Fiquei sabendo pelo site Black Hair & Other Stories que a revista Marie Claire tem uma sessão só pra mulheres negras. Espera um pouco, não era mais fácil diversificar um pouco as modelos e as matérias para que revista fosse uma revista feminina e não uma revista de mulheres brancas que as negras também podem ler? Fico feliz por termos espaço em uma revista que dita tendências e moda, mas como tô rabugenta hoje, permaneço com o pé atrás (que já tiver visto a revista ou tiver uma opinião, por favor escreva para a redação ou comente).

Iniciativas

A estilista e consultora de moda fofolete demais Thaís Losso (Cavalera, Sommer, Revista Capricho) por sua fez, foi ainda mais pontual e ao notar que no último Fashion Rio apenas 4 marcas desfilaram modelos negras e se questionou onde estão nossas meninas negras?

Como Walter Rodrigues não é bobo nem nada, na sua coleção de verão 2011, não colocou uma modelo negra, não colou uma cota de modelos negras, mas todas as modelos de seu desfile! Inspirado na zona da mata pernambucana todas as suas modelos eram pretas. Qual a diferença? Bem, todas são lindas e ficamos felizes, mas na prática são modelos como quaisquer outras!

Claro que essa atitude gerou um burburinho da primeira fila ao gargarejo, mas engraçado, quando todas as modelos de todas as revistas são loiras, ninguém fala nada… Mentira! Na época eu li na Lixolândia uma comentário que sim, os negros lutam contra o racismo, mas um desfile só com negras  é uma forma de preconceito contra os brancos.

Deixa eu ver se eu entendi, afinal, aqui somos um blog humanista e simpatizamos com a causa de todos os excluídos: em todos os desfiles da Fashion Rio, apenas 4 marcas tinham modelos negras, ou seja, a maioria das marcas desfilou apenas modelos brancas, muito bem. Por oposição, em um dos desfiles, todas as modelos eram negras, logo, essa marca foi racista. As outras que não tinham nenhuma modelo de nenhuma outra cor que não fosse branca, foram um mero acaso do destino. Entendi.

Sentindo na pele

A Editora do Efigenias, Luanna Teofillo, que vira e mexe tem seus dias de modelo de publicidade, em entrevista exclusiva, diz que o problema não é apenas o fato das pessoas serem racistas, mas também a falta de criatividade e profissionalismo de muitos trabalhadores da moda. “Já aconteceu mais de uma vez da maquiadora não ter maquiagem adequada para minha pele e eu ter sido excluída do editorial. Pior ainda uma vez que uma cabeleireira se recusou a arrumar meu cabelo, segundo ela, não mexia em cabelo como o meu, pode? Isso em Buenos Aires”.

E continuou: “Já na França há um fenômeno muito intrigante hoje em dia que são os modelos métisseMétisse é o termo que eles usam para um negro mestiço ou mesmo de pele um pouco mais clara como os brasileiros e caribenhos. Muitas vezes eu sei que eu não sou a mais bonita do casting, nem a mais magra,  mas como a minha pele é mais clara que das pretas maravilhosas que tem aqui, acabo tendo mais chance de pegar o trabalho”.

Perguntada se é a favor a adoção de cotas nos desfile, a blogueira é emblemática: “SIM! Sou a favor de cotas para tudo e por diversos motivos: para trazer o debate, para que as pessoas se posicionem, para mudar o quadro, para dar esperança as meninas que sonham em ser modelos. Afinal se a inclusão fosse algo natural, já teria acontecido. Numa sociedade racista, cabe a todos nós lutarmos para dar mais representatividade tanto de negros com orientais, indígenas, deficientes, mestiços,etc.”

É triste como o ser humano tenta, procura, se força para se limitar. Bem que Nietzsche me dizia que no dia que soubermos de verdade que somos o super-homem , com capacidades e inteligência infinita, teremos vergonha do somos hoje.

Leave a comment

Filed under Beleza, Fashion, Opinião

Bofe(s) do Domingo (passado)

Thiaguinho

Músico do Exaltasamba

Origem: afro-brasileiro

Carreira:Vocalista e músico do Exaltasamba, Thiaguinho participou do reality show Fama da TV Globo e estudou jornalismo.

O que contar para a família: “Mãe, olha que coisa mais linda!”

É para casar?Com certeza, nós merecemos.

David Agbodji

Modelo

Origem: afro-francês

Carreira:Modelo internacional, é uma das caras lindas da Calvin Klein

O que contar para a família: modelo internacional é o suficiente
É pra casar? sim, amamos modelos. Vive la France!

Leave a comment

Filed under Afrodescendente, Beleza, Black

Terminologia

Usos e significados

Guia prático e préalable dos termos raciais

Em caráter de urgência, devido a série de idiotismos e barbarismos que tivemos contato nos últimos dias (clique AQUI e seja bem-vindo a Lixolândia), comentário sobre três termos entre os mais utilizados para designar pessoas étnico-racialmente.

“Las razas” no existen, ni biológicamente ni científicamente. Los hombres por su origen común, pertenecen al mismo repertorio genético. Las variciones que podemos constatar no son el resultado de genes diferentes. Si de “razas” se tratara, hay una sola “raza”: la humana. “Las razas” biogenéticamente, no existen, pero el racismo sí, como ideología.

José Marín González, Doctor em Antropología da Universidade Paris 1 Panthéon- Sorbonne

Cada um desses termos e outros mais serão tema de matéria individual (como já vimos N*) em momento oportuno.

Preto

Tais Araújo, atriz, brasileira, PRETA

Pessoa da raça negra.

Designa africanos e descendentes. É o termo que se utiliza nos países lusófonos, com exceção a Angola que segue o modelo brasileiro. No dicionário de português de Portugal preto é descrito como termo pejorativo.

A palavra em si tem conotação neutra, ou seja, pode ser tanto positivo e demonstrativo quando pejorativo. No Brasil, apesar de constar como sinônimo de negro,  muitas vezes é considerado pejorativo quando na realidade é o termo mais adequado para indicar africanos e afrodescendentes.

Francês: noir
Inglês: black*
Espanhol: negro*

 

Negro

Tais Araújo, atriz, brasileira, NEGRA

Negros são os pretos nascidos na América descendentes de escravos e escravos em geral. No Brasil é o termo mais popular e utilizado para designar afrodescendentes. De certa forma, a palavra representa origem comum, diferente do termo preto que está ligado, no subconsciente popular, à cor. À rigor, os pretos brasileiros são negros porque são descendentes de escravos e por isso mesmo muitos consideram o termo racista porque evoca diretamente à escravidão.

Podemos pensar a priori que  um brasileiro afrodescendente é negro, mas um africano preto, por não ser descendente de escravos. Porém  na língua corrente, negro e preto são sinônimos.

Francês: nègre termo fora de uso justamente porque remete a escravidão e não se ajusta a realidade dos afrodescendentes .

Inglês: negro mesmo caso do francês. A palavra foi rejeitada na época do movimento pelos Direitos Civis, justamente pela alusão a escravidão e hoje em dia é termo pejorativo
Espanhol: negro é o caso mais crítico da dialética palavra X representação. Nos países hispânicos negro não é somente pessoa preta, de origem africana, mas designa também o pobre, o segregado, o mais baixo da escala social, sem cultura, ignorante. É usado como adjetivo pejorativamente (“negro de mierda” mesmo que a pessoa seja branca). consequentemente designa populações de origem indígena não só pela pele escura mas por ser o pior do extrato social. Por outro lado, é também vocativo carinhoso, como a cantora Mercedes Sosa  que na Argentina tem o epíteto La Negra.

Mulato

Tais Araújo, atriz, brasileira, MULATA

Mulato é termo que designa os mestiços entre branco e negro. Historicamente o termo usado para qualificar animais e como o negro ainda é era tratado como mercadoria era também classificado dessa forma, sendo que quanto mais perto do branco, melhor.

No Brasil é sinonimo de mulher negra fácil bonita, voluptuosa, sensual. A dançarina símbolo do carnaval é um esteriótipo brasileiro. É   um dos eufemismos raciais para negra, uma forma de amenizar o fato (assim como morena, morocha, moreninha, mulatinha). O mulato que é um dos símbolos do Brasil miscigenado, é também um grande exemplo do racismo cordial à la brésilienne.

Francês: mulâtre tem origem no mulata do Português, ou seja, como se fora um produto, uma pessoa que é de origem branca, nobre e preta, escrava, inferior. É a clássica mistura de cavalo com mula. Lendo a definição de mulâtre me deu ainda mais vontade de esquecer essa palavra e partir pra outra.

Le terme mulato ou mulata est aussi utilisé en portugais pour désigner des métis mais au Brésil après 388 ans d’esclavage donc d’exploitation sexuelle des femmes noires,métisses et indiennes le terme de mulata est souvent synonyme de danseuse érotique de carnaval. Ces femmes sont parfois vues comme des femmes de milieu social pauvre et facile à séduire, toujours prêtes pour une relation sexuelle. (Afff ,é isso que você quer pra você?)

Inglês: mulatto pelo mesmo motivo dos outros idiomas, não pegou nos Estados Unidos, além da associação à escravidão. Os termos mais usados são várias da palavra mestiço como biracial, mixed. Dizem que o termo peca por ser amplo e não designar somente o mestiço de negro com branco, mas qualquer mistura racial. Mas cá entre nós, nada como um predicativo para salvar a história, basta dizer mestiço de branco com negro.

Espanhol: mulato os espanhóis que começaram com a idéia de categorizar pessoas como mercadoria. Então o mulato uma produto da cruza entre o branco e negro.

Obviamente que aqui no Efigenias a liberdade é ampla e respeitamos o direito de cada pessoa se designar da maneira que quiser. Só queremos remarcar a importância dos significados, usos e representações das palavras.

Na próxima edição:

POLÊMICA: Black é racismo ou afirmação?

Fique a seguir com o Bofe do Domingo.

Bom final de noite :)

ps.: e para aqueles que amam odiar, gritar e espernear, dêem crédito às horas infinitas sentada nas bibliotecas do mundo e navegando em sites mil. Na humildade.

5 Comments

Filed under Ação Afirmativa, Afrodescendente, Black

Paris também é assim

Nesta semana  de Vacance de Toussaint (o feriado de Todos os Santos que aqui são umas miniférias) onde aparentemente as pessoas que preparam suas teses de mestrado não escrevem em seus blogs, um pouco de Paris que talvez você não conheça.

Tensão racial, você vê por aqui.

 

Leave a comment

Filed under Afrodescendente, Música, Opinião

I ♥ Balada

Balada, termo popularizado em meados dos anos 90

Invadiu nossa cultura e mudou nossas vidas.

A etimologia do sentido atual é desconhecida, mas uma possibilidade é que seja uma variável do verbo francês balader: sair sem compromisso, curtir, dar um rolê passeio. A denotação de balada no Dicionário Michaelis vem do provençal ballada que é um gênero de poesia popular originário dos países do Norte Europeu.

Já a conotação varia  desde a melhor festa no seu club do coração (superbalada), um bar com amigos (balada sussa) quanto uma reuniãozinha na casa da sua avó (baladeenha).

Ir pra balada, fazer balada, estar na balada é ser feliz. É afirmar a humanidade, desconstruir paradigmas e estigmas. Balada é balada.

Segundo Wilhelm Reich, dançar é uma forma de dissolver as couraças musculares formadas pelas neuroses. O movimento e emoção da dança libertam a energia sanadora chamada orgone. Balada é esporte.

Para muitos, o baladeiro é um imoral, pessoa fútil dada a hedonismos, sem candura moral. Mal sabem que os verdadeiros baladeiros são guerreiros. Cair na balada é demonstrar a originalidade, a autenticidade oprimida e morta todos os dias pela sociedade capitalista predadora baseada no trabalho semi-escravo.

A balada também serve de alegoria até para a Pátria Madre, já que como ela, é cara, tem segurança chato na porta, sempre lotado, o ar condicionado não funciona, mas é balada você se diverte!

.

.

.

“…e aqueles que que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música”

Nieztsche depois de uma soirée electro em Berlim

.

.

.

.

.

E falando em baladona…

Monty Pistons é uma “fanfare de beaux-arts débôzarts de Paris

Orquestra de metais e percussão dão o tom da festa que é pra dançar mesmo.

Prepare para shake you ass and save your soul ao som de The Especials,Dr. Dree, Spice Girls e por aí vai. Resumindo: uma PUTA balada!

Felicidade eufórica, vermelha e borbulhante.

Vive la fête!

:: Efigenias ::
“Professional Party People”

ps. aqui se fala português PAULISTANO

Leave a comment

Filed under Balada, Música, Out and About

O que rolou?

O que rolou essa semana?

Um pequeno weekly digest:

Teve o Tyson Beckford na Semana de Moda de NY.

O Kanie West e a Kelly Rowland também estiveram por lá.

♥ Por alguma razão  o termo mais buscado esta semana que levou/trouxe a esse blog foi…

“A Maior Cobra do Mundo”


Alguém tem alguma idéia relacionada a isso?

Whatever a parte, o título continua sendo da Tina Turner, cujo cabelo eu venho tentando imitar desde idos dos anos 80. Ela é o termo de busca mais traz o povo a esse humilde blog.

Deusa recitando o NAM-MYOHO-RENGUE-KYO rumo ao Kossen Rufu :)

♥ Saiu a edição de outubro da Revista Essence

Sem mais palavras, mas eu acho que eu sei como fazer qualquer um desses feliz. Juro, na humildade.

♥ E claro o novo hit da Rihanna e do David Guetta, Who’s that chick?

A bailar!

♥ Hoje rolou em Paris a “Lavage de la Madaleine”,

que é a lavagem-da-escadaria-do-senhor-do-bonfim em Paris, perto das galerias Lafayette.

É um barato como a cultura brasileira é forte em qualquer canto do mundo e como os franceses, em especial, amam o Brasil. Duvida? Então dá uma olhada:

É noix!

Biz ♥

Leave a comment

Filed under HOT NEWS, Internet, Out and About

Cinema – κίνημα – kinema

Blowing mind movie!

Maria Antonieta

(Marie Antoinette, EUA-FRA, 2006)

Hong Kong Garden, Siouxsie & Banshees, trilha sonora do filme e uma das cenas mais rock n'roll da história do cinema.

A história da delfina adolescente da França na visão pop-rock de Sofia Coppola.  Roteiro, história, figurino, luxo, Jason Schwartzman, ou seja, tudo o que a gente gosta.   Destaque para a interpretação brilhante de Kristen Dunst.

Clique aqui para ver o filme online.

Leia também:

1 Comment

Filed under Cinema, One of Us

Além de banco, Bukina Faso também tem TV

E é divertido!

Todo mundo que tem email, já ouviu falar de Bukina Faso.  Além de ser o país do famoso scam de internet, da tal grana que alguém tem para transferir para sua conta, Bukina Faso é também o cenário de uma nova série polícial apresentada na tv francesa chamada “Super Flics”, algo como os Super Tiras.

A música de abertura é bem legal, o clima é divertido e as pessoas sorriem, nem parece que é um seriado policial onde os agentes Marc e Malika combatem o crime e recebem todas as semanas celebridades do cinema e teatro bukinabé. Você pode assistir os episódios em francês na página da TV5 Monde, a televisão pública da França.

Lembrando que um outro país africano é considerado oo terceiro maior mercado de cinema do mundo: a Nigéria que só perde em número de filmes lançados por ano para Estados Unidos e a Índia.

Quem sabe agora você se anima a aceitar a falcatrua oferta do tal gerente do Banco de  Bukina Faso ;)

:: Efigenias ::

All around 

Leave a comment

Filed under Afro, Out and About, TV