Tag Archives: preto

Como fazer a revolução sem muito esforço

 5 hábitos revolucionários que você pode desenvolver

Não é que não queremos, é que não temos muito tempo. Esse é o problema. Queremos a revolução, sonhamos com a felicidade de todos, mas como encaixar esses anseios na nossa vida diária?

Existem os militantes, que são profissionais da revolução e dedicam seu tempo e inteligência à causa política e social, temos os part-timers, aqueles que se dedicam parcialmente participando de protestos e eventos,  e existem nós, os que não tem tempo.

Não se preocupe, se existe motivação, há ação. Apenas no campo da linguagem podemos ser revolucionários e mudar as coisas. Cinco dicas quentes, que vão fazer e muito a diferença. Afinal, quem você quer ser?

1 – Escolha bem suas palavras.

É simples: se durante uma conversa você se deparar com alguma palavra, termo ou expressão que possa ser ofensivo (mesmo que você não tenha intenção de ofender a alguma pessoa ou grupo, não fale, escolha outra.Responsabilize-se pelas suas escolhas linguísticas. Ouso dizer que existem apenas 3 tipos de problemas na vida: os metafísicos (éticos, amorosos, subjetivos), os pragmáticos (construir uma ponte, consertar uma unha quebrada, encontrar um emprego) e os linguísticos (tudo o que você fala, sobre o que fala, com quem se comunica). Livre-se de um.

Sim, suas escolhas linguísticas causam tanto ou mais problemas que um farol quebrado em um dia de chuva ou o seu pagamento em atraso.Claro que não é possível prever o que a outra pessoa vai sentir com as suas palavras, mas fique atento e escolha bem as palavras.

Exemplo:

Não chame pretos de morenos! Não! Não faça isso.

Observe que a maioria das vezes que citamos a cor ou algum traço físico de uma pessoa numa frase, a informação não tem valor descritivo e sim moral. É um julgamento, uma determinação somática que vem embutida de preconceitos e esteriótipos. Se você não tiver capacidade intelectual de entender a cor ou a cultura de alguém, simplemente não fale. Dá certo.

UOL   O melhor conteúdo

Se fossem brancas seria apenas duas gatas, duas beldades, uma paulista e uma carioca…

-A Maria é aquela… preta,morena, moreninha, mulata, mulatinha, de cor, escurinha, …

Viu que problema? Porque você sabe bem que se referir alguém como negra ou como morena não tem o mesmo efeito, não adianta mentir e dizer que não. Para não ter problemas, basta você falar:

– A Maria, aquela de camiseta branca.

 

 

 

 

 

 

– Ah, mas é mais complicado.

Tá com preguiça de pensar, filho? Assim você vai longe…

 

2 – Dê o exemplo como algo normal

 

Você está lá batendo papo com amigos, aí numa frase você fala afrodescendente ao invés de negro ou preto, pronto.  Não precisa soltar a velha pérola:” Ah, porque agora não se pode chamar preto de negro, é afrodescendente”. Cara, você tentou esconder,  mas demonstrou sua idiotice do mesmo jeito. Você não quer se corrigir?

Outro exemplo:

– …esse jovens das comunidades…Comunidade, porque agora não pode dizer favela.

Você anulou o efeito que até você reconhece que tem a primeira oração, e deu o show da odiotice na segunda. Parabéns.

3 – Seja gentil e respeite

Eu não estou falando pra você respeitar de coração,  porque já vi que isso é impossível. Respeito de coração é difícil de encontrar na história da humanidade.  Então apenas respeite como comportamento. Você não é obrigado a lutar pela sua liberdade de expressão ou seus sentimentos todas as vezes. Se o cara gosta de azul e você de preto, tá, você pode pensar que ele é  idiota, claro que é, mas apenas pense e regozige-se em silêncio no seu íntimo. Não tem prazer maior.

 

4 – Corrija as pessoas ignorantes, mas nem sempre os idiotas

Há uma diferença: tem gente que é ignorante do mal, mas às vezes a pessoa simplesmente não sabe. Coitada. Não dá pra saber tudo. Neste caso, creio que vale a pena partilhar conhecimento, chamar o debate amigável. Não precisa trolar tooooodas as vezes.

Se o cara te fala uma merda machista do tipo “mulher só gosta de véio com dinheiro” (tudo isso é baseado numa história verídica), você tem duas opções:

a) Verificar o contexto cultural em que o indivíduo atua,  suas intenções (quer ofender ou quer apenas falar, porque falar todo mundo fala) e relevar. Pra que discutir com um homem, brasileiro, que assistiu novela durante 60 anos, não leu um livro, não se interessou em analisar criticamente nada na sua vida, mas é um cara simpático que só está falando. Não vale a pena.  Regozige-se em silêncio no seu íntimo

b) Ir pra cima independente da situação. Mas mesmo neste caso, seja gentil. Não custa nada e é mas fino.

 

5 – Deixe a pessoa falar primeiro

O idiota sempre se manifesta. não tem jeito. Deixe que ele mostre quem ele é porque vai acontecer fatalmente. Encare as pessoas de forma neutra, sem esteriótipos ou modelos. Quem é gente boa, será gente boa.   Não que eu seja uma cagaregras, mas esteriótipos cansam. Você quer apenas ser quem você é, enquanto o outro insiste em te limitar dentro de um modelo inferior.

A vida são nossas escolhas linguísticas, e boa parte da revolução é feita através das palavras que saem direto do coração. #linguisticsfeelings

:: Efigenias ::

Querendo mesmo é ser  Caetano Veloso

Advertisements

Leave a comment

Filed under Ideias sem acento, Linguística, Opinião

Palavras que precisamos ouvir

“Nosso medo mais profundo não é de não estarmos à altura

Nosso medo fundamental é saber que nós somos poderosos além de qualquer limite

É nossa luz e não nossa escuridão que mais nos amedronta

Nos perguntamos:

Quem sou eu para ser brilhante, radiante, talentoso e maravilhoso?

Na real, quem é você para não ser?

Se limitar, viver pequeno, serve em nada ao mundo

A iluminação não é se restringir para evitar que as pessoas a sua volta fiquem inseguras

Ela não é privilégio de alguns eleitos. Ela se encontra em cada um de nós

E da forma que nós deixamos brilhar nossa própria luz, nós damos inconscientemente aos outros a permissão de fazerem o mesmo.

Quando nós nos libertamos de nosso próprio medo, nossa presença automaticamente liberta os outros.

Nelson Mandela, discurso da posse em 1994

:: Efigenias ::

Deixe a luz acessa

Leave a comment

April 17, 2012 · 1:32 AM

O Brasil cordial

Case study sobre o carisma e a personalidade da nossa gente

No dia 13 de março de 2005 (quem tiver esse vídeo por favor me mande para ilustrar a matéria), no programa Pânico na TV, os jornalistas de celebridade (oi?)  repórter Vesgo e o dono do baú Silvio Santos entrevistam Marcelo Antony. Sim o ator gato ai em baixo.

Vesgo pergunta ao ator que chega de carro: ” – Você foi ao banheiro?”
Marcelo Anthony responde com empolgação:

“Você tá querendo saber se eu FUI LIBERTAR O MANDELA?”

Marcelo antony é pai de DUAS CRIANÇAS PRETAS.

Bem-vindo ao fabuloso  mundo do RACISMO CORDIAL BRASILEIRO, ou como muitos cientistas classificam como le racisme à bresilienne.

O racismo no Brasil é um capítulo a parte na sociologia e antropologia mundial. O racismo brasileiro é assunto nas grandes universidades do mundo.

E você, fala sobre isso?

Vocês podem não acreditar em mim, editora chefe do Efigenias, mas espero que no Chico Buarque vocês acreditem:

Chico Buarque fala sobre o racismo, sua família de pretos e mestiços e das pessoas que por alguma razão, ainda desconhecida por mim, pensam que são brancas.

Ainda não sentiu nada? Então veja esse vídeo: Esse menino foi morto covardemente pela polícia em Salvador. O Estado segue seu plano de dizimação dos negros.

Não vai rolar.!!! Claro que ninguém ficou sabendo disso, afinal, um preto a menos,ninguém vai notar.

E ai, vamos aceitar a morenização e fingir que é o jeitinho carinhoso brasileiro e sequer discutir o assunto ou enfrentar e mostrar a que viemos?

Pensei nisso outro dia quando estava com um amigo e ele fez um comentário sobre gays e ao ver meu olhar de desaprovação se desculpou. Não sou gay (oi?), mas ele sabia que eu jamais aceitaria qualquer manifestação de preconceito mesmo que não fosse direcionada a mim.

E você?  O que faz quando escuta uma piada preconceituosa? Você defenderia algém vitima de preconceito? Será?

Não adianta falar que não é racista, tem que mostrar! Se somos todos iguais, trate todos de maneira igual NA REAL.

:: Efigenias ::

Rudy

Leave a comment

Filed under Efigenias, Ideias sem acento, Opinião

Google Pergunta

As respostas do nosso humilde oráculo

As dúvidas, anseios e divagações filosóficas dos nossos navegantes.

{porque todos odeiam o cabelo cacheado}

Olha, nem todos, mas é inegavel a pressão cultural para que todas as pessoas queiram ter cabelo liso. Atualmente eu prefiro simplesmente pensar que cada um tem direito de optar pelo que gosta, mas há de ter diversidade de representação.

{porque as pessoas odeiam negros}

Eu acho que 30% das pessoas odeiam os negros e 60% são tão ignorantes que não conseguem entender a consequência de seus atos e palavras.  Para os primeiros, respeito pelo direito de opinião porém, que guardem suas ideias idiotas para vocês mesmos. Pensem o que quiserem,ninguém tem que saber das merdas que passam na sua cabeça. Para os segundos, educação, representatividade e respeito. A educação salva almas, sabemos disso e temos obrigação de esclarecer as pessoas: por exemplo a questão seguinte:

{por que negrice termo pejorativo}

É uma dúvida autêntica e oportunidade de esclarecer alguém pode estar sendo racista sem saber. vejamos linguisticamente:

Estudando o ensaio de José Endoença Martins para a revista da ABPN,  assimilei um possível significado para negrice, em contrapartida a negritude.
Segundo Martins:

“negritude compreende “os aspectos positivos” colados à vivência negra pelos atores da resistência racial” sendo negrice  seu oposto: “sob a égide da negrice…corporificam a identificação com valores externos às suas culturas de origem e, portanto, desenvolvem identidades assimilacionistas; Negrice engloba “as configurações negativas” associadas à experiência negra, determinadas pelo racismo branco e pelo racismo internalizado”.

Para concluir, essa,  como outras palavras, devem ser evitadas no contexto diário por remeterem a algo negativo a toda cultura negra. Dizer coisas: “não faça nenhuma negrice” é assumir uma configuração negativa com toda a cultura e povo preto. OU seja, ninguém merece.

:: Efigenias ::

Linguística é nosso jogo

2 Comments

Filed under Google Pergunta, Opinião

Bofe do Domingo (edição especial)

Só uma pergunta:

{IS THIS REAL????}

BJ Williams, modelo americano

I love to be in a planet where there’s a person with this face walking around…

:: Efigenias ::

Because life is good ♥

Leave a comment

Filed under Beleza, Black, Bofão

Google Pergunta

Diretamente das pesquisas do Google

As queries d@s querido@s e ilustres visitantes do nosso humilde blog

* padrão de beleza imposto pela mídia

Veja o que o padrão de beleza imposto pela mídia está fazendo com nossas crianças


* tais araujo é um afrodescendente?


Sim, Tais Bianca Gama de Araújo, atriz brasileira é afrodescendente, mas lembre-se o artigo indefinido deve concordar com o substantivo, então no caso é uma afrodescendente

* como colocar alongamente fio a fio com franja

Amo esse vídeo, essa menina é maravilhosa! Ela faz o penteado Frohawk colado com cola. Atenção para a finalização.


*como se fala eu amo a willow smith ela é diva em inglês

  • I love love love Willow Smith, she is such a diva!
  • La quiero a Willow Smith, esta muy copada, re diva!
  • J’adore Willow Smith, elle est suberbe, en fait, une vraie diva!

*jennifer hudson, usa extensões no cabelo?

Não mais. Agora ela usa lacewig.

NR.:way too much photoshop, way to much wig

E a Menção Honrosa vai para

*crianças são amigas de todas não tem preconceito


Sim, crianças não tem preconceito, mas pais, familiares e amigos sim.  Vamos educar nossas crianças de forma a erradicar o preconceito desde a infância.

Leave a comment

Filed under Afrodescendente, Blosphera, Internet

Bofe do Domingo

Taye Diggs

Ator

Origem: Afro-norte-americano

Carreira: Bacharel em Belas Artes, é ator de teatro, cinema e televisão.

O que contar para a família: “Imagine os filhos que eu teria com ele!” ajuda bastante.

É para casar? Isso é pergunta que se faça? Sai fora Retire-se por gentileza que eu tô na fila faz tempo!

Leave a comment

Filed under Beleza, Black, Bofão

Bofe do Domingo

Kenan Thompson

Ator e comediantes

Origem: Afro-norte-americano

Carreira: Começou em um dos melhores seriados do mundo, Kenan e Kel, fez alguns filmes, participações em séries e agora faz parte do elenco do Saturday Night Live.

O que contar para a família: É um bombonzão! Muito fofo mesmo!

É para casar? Com certeza, se você não quer pode deixar pra mim di boua ;)

1 Comment

Filed under Uncategorized so far...

Bofe(s) do Domingo (passado)

Thiaguinho

Músico do Exaltasamba

Origem: afro-brasileiro

Carreira:Vocalista e músico do Exaltasamba, Thiaguinho participou do reality show Fama da TV Globo e estudou jornalismo.

O que contar para a família: “Mãe, olha que coisa mais linda!”

É para casar?Com certeza, nós merecemos.

David Agbodji

Modelo

Origem: afro-francês

Carreira:Modelo internacional, é uma das caras lindas da Calvin Klein

O que contar para a família: modelo internacional é o suficiente
É pra casar? sim, amamos modelos. Vive la France!

Leave a comment

Filed under Afrodescendente, Beleza, Black

Out and About

Direto do Concret Loop

Lewis e Nicole antes do Grande Prêmio de Abu Dhabi

(Abu Dhabi, 23Nov) – O corredor da Formúla 1 Lewis Hamilton e a cantora Nicole Scherzinger foram fotografados antes do Grande Prémio de Abu Dhabi na última quinta-feira.  Hamilton chegou em segundo lugar na corrida e ficou em quarto lugar no quadro geral da competição.

Gente linda que amamos!

1 Comment

Filed under Afro, Black, Out and About

Terminologia

Usos e significados

Guia prático e préalable dos termos raciais

Em caráter de urgência, devido a série de idiotismos e barbarismos que tivemos contato nos últimos dias (clique AQUI e seja bem-vindo a Lixolândia), comentário sobre três termos entre os mais utilizados para designar pessoas étnico-racialmente.

“Las razas” no existen, ni biológicamente ni científicamente. Los hombres por su origen común, pertenecen al mismo repertorio genético. Las variciones que podemos constatar no son el resultado de genes diferentes. Si de “razas” se tratara, hay una sola “raza”: la humana. “Las razas” biogenéticamente, no existen, pero el racismo sí, como ideología.

José Marín González, Doctor em Antropología da Universidade Paris 1 Panthéon- Sorbonne

Cada um desses termos e outros mais serão tema de matéria individual (como já vimos N*) em momento oportuno.

Preto

Tais Araújo, atriz, brasileira, PRETA

Pessoa da raça negra.

Designa africanos e descendentes. É o termo que se utiliza nos países lusófonos, com exceção a Angola que segue o modelo brasileiro. No dicionário de português de Portugal preto é descrito como termo pejorativo.

A palavra em si tem conotação neutra, ou seja, pode ser tanto positivo e demonstrativo quando pejorativo. No Brasil, apesar de constar como sinônimo de negro,  muitas vezes é considerado pejorativo quando na realidade é o termo mais adequado para indicar africanos e afrodescendentes.

Francês: noir
Inglês: black*
Espanhol: negro*

 

Negro

Tais Araújo, atriz, brasileira, NEGRA

Negros são os pretos nascidos na América descendentes de escravos e escravos em geral. No Brasil é o termo mais popular e utilizado para designar afrodescendentes. De certa forma, a palavra representa origem comum, diferente do termo preto que está ligado, no subconsciente popular, à cor. À rigor, os pretos brasileiros são negros porque são descendentes de escravos e por isso mesmo muitos consideram o termo racista porque evoca diretamente à escravidão.

Podemos pensar a priori que  um brasileiro afrodescendente é negro, mas um africano preto, por não ser descendente de escravos. Porém  na língua corrente, negro e preto são sinônimos.

Francês: nègre termo fora de uso justamente porque remete a escravidão e não se ajusta a realidade dos afrodescendentes .

Inglês: negro mesmo caso do francês. A palavra foi rejeitada na época do movimento pelos Direitos Civis, justamente pela alusão a escravidão e hoje em dia é termo pejorativo
Espanhol: negro é o caso mais crítico da dialética palavra X representação. Nos países hispânicos negro não é somente pessoa preta, de origem africana, mas designa também o pobre, o segregado, o mais baixo da escala social, sem cultura, ignorante. É usado como adjetivo pejorativamente (“negro de mierda” mesmo que a pessoa seja branca). consequentemente designa populações de origem indígena não só pela pele escura mas por ser o pior do extrato social. Por outro lado, é também vocativo carinhoso, como a cantora Mercedes Sosa  que na Argentina tem o epíteto La Negra.

Mulato

Tais Araújo, atriz, brasileira, MULATA

Mulato é termo que designa os mestiços entre branco e negro. Historicamente o termo usado para qualificar animais e como o negro ainda é era tratado como mercadoria era também classificado dessa forma, sendo que quanto mais perto do branco, melhor.

No Brasil é sinonimo de mulher negra fácil bonita, voluptuosa, sensual. A dançarina símbolo do carnaval é um esteriótipo brasileiro. É   um dos eufemismos raciais para negra, uma forma de amenizar o fato (assim como morena, morocha, moreninha, mulatinha). O mulato que é um dos símbolos do Brasil miscigenado, é também um grande exemplo do racismo cordial à la brésilienne.

Francês: mulâtre tem origem no mulata do Português, ou seja, como se fora um produto, uma pessoa que é de origem branca, nobre e preta, escrava, inferior. É a clássica mistura de cavalo com mula. Lendo a definição de mulâtre me deu ainda mais vontade de esquecer essa palavra e partir pra outra.

Le terme mulato ou mulata est aussi utilisé en portugais pour désigner des métis mais au Brésil après 388 ans d’esclavage donc d’exploitation sexuelle des femmes noires,métisses et indiennes le terme de mulata est souvent synonyme de danseuse érotique de carnaval. Ces femmes sont parfois vues comme des femmes de milieu social pauvre et facile à séduire, toujours prêtes pour une relation sexuelle. (Afff ,é isso que você quer pra você?)

Inglês: mulatto pelo mesmo motivo dos outros idiomas, não pegou nos Estados Unidos, além da associação à escravidão. Os termos mais usados são várias da palavra mestiço como biracial, mixed. Dizem que o termo peca por ser amplo e não designar somente o mestiço de negro com branco, mas qualquer mistura racial. Mas cá entre nós, nada como um predicativo para salvar a história, basta dizer mestiço de branco com negro.

Espanhol: mulato os espanhóis que começaram com a idéia de categorizar pessoas como mercadoria. Então o mulato uma produto da cruza entre o branco e negro.

Obviamente que aqui no Efigenias a liberdade é ampla e respeitamos o direito de cada pessoa se designar da maneira que quiser. Só queremos remarcar a importância dos significados, usos e representações das palavras.

Na próxima edição:

POLÊMICA: Black é racismo ou afirmação?

Fique a seguir com o Bofe do Domingo.

Bom final de noite :)

ps.: e para aqueles que amam odiar, gritar e espernear, dêem crédito às horas infinitas sentada nas bibliotecas do mundo e navegando em sites mil. Na humildade.

5 Comments

Filed under Ação Afirmativa, Afrodescendente, Black

Bofe(nho) do Domingo

Jaden Smith

Ator e Cantor

Origem: afro-norte-americano

Carreira:ator e agora segue carreira de cantor

O que contar para a família: com o matrimônio você vai fazer parte da família tudodebom de Hollywood e principalmente ser cunhada da Efigenia mor Willow Smith ♥

É para casar?Sim, mas daqui há alguns anos, por favor, o menino tem 12 anos!

Leave a comment

Filed under Beleza, Black, Out and About

Bofe do Domingo

Jarrett Mathis

Atleta e Educador

Origem: norte-americano

Carreira: jogador de basquete e historiador

O que contar para a família: Jogou no basquete universitário norte-americano tendo muito destaque, assim como seu irmão. Jarrett é o propulsor do movimento para abolir a palavra “N” da cultura jovem. Faz palestras em escolas públicas nos EUA conscientizando crianças e adolescentes.

É para casar? Olha minha filha, nem sei o que falar de uma pessoa dessa. Vou já mandar um email apoiando a causa e oficializando nosso noivado. Tô tão feliz :)

Leave a comment

Filed under Afrodescendente, Beleza, Black

N. word? O que é afinal?

Terminologia

“N” não é preto nem negro. Há uma diferença grande entre os termos. E para a pior.

A palavra “N” é uma criação de pessoas cheias de ódio visando diminuir ainda mais a condição de existência do PRETO.
“N” não só significa, na pior conotação, preto, negro, escravo, animal. É o pior que há em tudo isso. Denomina todo o ódio que racistas sedentos já não conseguiam demonstrar só com atos. Criaram uma palavra pra isso.

“N” é o pior termo para designar qualquer pessoa, mas em geral é atribuída a negros. “N” rebaixa o ser humano e por consequência a humanidade como um todo. Toda vez que “N” é usada, tudo de pior que há do ser humano ganha um ponto na saga da evolução.

Na origem denominava os escravos negros que eram o escalão mais baixo da sociedade. Hoje em dia seu uso (não seu significado), tomou rumos surpreendentes.

A primeira vez que eu conversei sobre isso com uma amiga americana, que não é negra, ela disse que sentia vergonha por uma palavra dessas existir e ser usada. Como era possível ser humano se degradar de tal maneira?

Na definição “N” é uma pessoa sem auto-estima, sem valor social, escoria, mal-educado, de más maneiras, estúpido, ignorante, lento, insolente, fétido. E pior, PRETO. Toda vez que alguém profere “N”, todo o ódio que existe no universo se manifesta. Principalmente contra os PRETOS.

5 conselhos que podem ajudar indivíduos negros a serem mais respeitados e a se respeitarem mais

O termo foi popularizado nos anos 90 com ajuda do  Gangstar Rap, muitos estudiosos apoiam que uma palavra não vale mais que seu uso.  Justificam que houve um fenômeno chamado reapropriação, onde um termo usado num primeiro momento pejorativamente é absorvido pelo próprio grupo antes ofendido num sentido de identificação, senso de comunidade e empatia. Foi o que aconteceu por exemplo com o termo black que foi aceito no decorrer das décadas pelos negros americanos e é usado em todo o mundo.

Defendem que “N” em si, tem conotação neutra, mas que pode ser expressado de forma negativa ou positiva. Essa teoria torna o uso do termo COMPREENSÍVEL,  porém que não deve ser incentivado ou aceito. Isso explica porque uma pessoa de outra cor (alguém tem uma sugestão par abolir esse sistema de classificação de humanos por cores, como meias e giz de cera?) não pode dizer “N”, porque seu uso só é compreensível dentro de uma experiência de identificação.

♥ Conselhos da vovó Efigenia ♥

Se você éum artista, cantor, rapper, poeta, escritor, produtor, ator, saiba que parte do ofício de comunicar, é divulgar a língua e seus bons usos.  Sabemos do poder que uma palavra tem. Evitemos palavras como essas porque só geram mais preconceitos e ideias equivocada.

Vamos abolir da nossa vida coisas negativas como “N” e todo mal que vem junto dela.

Não se esqueça de visitar Abolish the “N” Word e o E Empowering ourselves e clicar sobre os links “N” para entender melhor o significado triste dessa palavra.

Juízo!

Beijosda Vovó

etimologia e significado

a palavra N foi uma criação de pessoas cheias de ódio para diminuir ainda mais a condição de existência do PRETO.
“N” não só significa, na pior conotação, preto, negro, escravo, animal. É o pior que há em tudo isso.Denomina todo o ódio que racistas sedentos já não conseguiam demonstrar só com atos, criaram uma palavra pra isso.

“N” é o pior termo para designar qualquer pessoa, mas em geral é atribuida as negros. “N” rebaixa o ser humano e por consquência como um todo. Toda vez que “N” é usada, tudo de pior que há do ser humano ganha um ponto na saga da evolução.

Na origem denominava os escravos que eram o escalão mais baixo da sociedade. Hoje em dia seu uso (não seu significado), tomou rumos surpreendentes.

A primeira vez que eu conversei sobre isso com uma amiga americana, que não era negra, ela disse que sentia vergonha por uma palvra dessas existir e ser usada. Como era possível ser humano se degradar de tal maneira.

A definição de “N” é uma pesoa sem auto-estima, sem valor social, escoria, mal educado, de más maneiras, estupido, ignorante, lento, insolente. E pior, PRETO.

Toda vez que alguem profere “N”, todo o ódio que existe no universo se manifesta.

mesmo incociente, sendo a ciencia neurolinguistica, a repetição do termo corrobora todos os rpeconceitos, todo o negativo que os pretos sofrem todos os dias.

alguém poderia gritar que os próprios negros popularizaram o termo nos anos 90 com o ganstar rap. outro apoiam que uma palavra não vale mais que seu uso. de crta forma, é obvio que a intenção não é denegrir mas exaltar, porém, as palavras são muito poderosas e servem de mecanismo de programação mental. está ai a ciência que não nos deixa mentir.

“Where y’all niggas goin?” is said with no selfconsciousness or animosity to a group of women, for the routine purpose of obtaining information. The point: Nigga is evaluatively neutral in terms of its inherent meaning; it may express positive, neutral or negative attitudes;

nigga (not nigger) brings out feelings of pride” (Davis 1). Here the word evokes a sense of community and oneness among black people.

uso
N não é uma palavra aceitávl porém seu uso é compreensivel. quando um negro chama o outro de my n, ele está se aproximando, se refletindo,se identificando com o outro. porém, devido a carga de preconceito e racismo contida no termo, o melhor é abolirmos de vez esse termo. não precisamos enfatizar a todo tempo que o preconceito que sofremos, mas valorizar e glorificar nossas vitórias, nossa luta.

por isso uma pessoa de outra cor (alguém tem uma sugestão par abolir esse sistema de classificação por cores, como meias e giz de cera?) não pode usar a palavras N, porque seu uso admite não só experiência e idntificação.

calma linguísticos do mal, de maneira nenhuma se trata de neologismo, reapropriação.é um engano como muitos que cometemos com a melhor intenção e que a revoulução humana, em nome da felicidade de todas as pessoas nos dá o direito de corrigir.

racial slur
adjeetivo, vocativo,para cumprir a função fática é fail, porque ao inves de aproximar, afasta, de tudo, do bem, do bom, da felicidade e do amor.

se vc é um artista, rapper, poeta, escritor, produtor, parte do oficio de comunicar, é divulgar a lingua e seus bons usos. temos que evitar o uso incorreto dos termos para evitar mais e mais preconceito. quem tem seu coração nas pontas dos dedos sabe do poder que um palavra tem. temos como mulata, moreninha, escurinho, denegrir e mesmo BLACK (em breve falaremos de todos os termos e porque devem ser evitados) devem ser abolidos em pro de palavras que consagrem as pessoas, não as diminua

não sou eu que vou acusar jay z, outros rappers, the wayne brothers de popularizem o termo até torná=lo algo normal.

vamos abolir N do léxico, d forma de tratamento, da existência

4 Comments

Filed under Ação Afirmativa, Black, Opinião

Estilo

DÂNDI . Dandy . Dandio

O príncipe nasce como tal, o Dândi segue o que é sua vocação natural

 

« Aucun crime n'est vulgaire, mais la vulgarité est un crime. La vulgarité, c'est ce que font les autres. »— Oscar Wilde

 

Pouco laureado na cultura brasileira, o Dândi é o estilo adorado pelos mais finos. Dândi é o seguidor do dandismo que é uma doutrina de elegância e excelência fundada no século XVIII no Inglaterra pela elite intelectual e que teve seu auge no século XIX na França.

É o cavalheiro perfeito, reconhecido por sua elegância e senso estético no vestir e em suas boas maneiras. No estilo, o Dândi remete ao visual formado por alfaiataria e cortes clássicos em tons neutros como preto, marrom e cinza, combinado com acessórios como relógio, chapéu, bengala, guarda chuva, colete e luvas. Um luxo que amamos.

 

Baudelaire identifie le dandysme comme le « dernier acte d'héroïsme » possible, recherche de distinction et de noblesse, d'une aristeia de l'apparence.

 

♣ Dândis originais:

George Beau Brummel, Oscar Wilde, Lord Byron

♥ Dândis modernos:

Justin Timberlake, Peter Doherty, Albert Hammond Jr, Usher

♦ No Brasil:

Marco Mion e Chico Bento

.

.O verdadeiro Dândi não se prende a padrões culturais, é cavalheiro naturalmente, não se importando com o modus operandis do macho vigente. Dado às artes e às contemplações estéticas do belo e do bom, o Dândi se destaca entre os outros homens, pobremente masculinos. É um sucesso entre as cocotas de bom gosto como nós do Efigenias ( ;) ).

Além da aparência, o que mais encanta no Dândi é o cavalheirismo que é algo que não existe mais na nossa cultura. No Brasil cordial do caboclo amigão, o cavalheirismo foi pouco difundido e se perdeu no tempo. As famílias não ensinam mais os filhos a serem cavalheiros; nas escolas, isso não é assunto e na cultura em geral já passou.

Muitos homens se escusam dizendo que o feminismo acabou com o cavalheirismo. Meus caros, a essência do homem cavalheiro é imune a alterações externas. O feminismo é resposta ao machismo. O cavalheirismo é o auge da beleza e da virilidade de um homem. Ou seja, uma coisa não tem nada a ver com outra.

 

« Le Dandy doit aspirer à être sublime sans interruption, il doit vivre et dormir devant un miroir »— Baudelaire, Mon cœur mis à nu

 

 

Alguns consideram o Dândi um excêntrico arrogante. Na origem pode-se dizer que é o dandismo é uma evolução do esnobismo na Europa do século XIX. O dandismo aconteceu antes da Revolução Industrial, assim que os homens podiam dedicar-se mais à elegância, já que não tinham que se vestir para o trabalho escrav0 assalariado. Sua vaidade e egocentrismo são baseados no conhecimento e delicadeza nas palavras e nos modos. Eram os burgueses que, mesmo não fazendo parte da aristocracia, se cultivavam a ponto de ser tão ou mais finos que os próprios aristocratas.

 

« Le mot dandy implique une quintessence de caractère et une intelligence subtile de tout le mécanisme moral de ce monde. » — Baudelaire, Le Peintre de la vie moderne

 

Por que um Dândi tem nossa preferência e merece nosso amor:

  • Abre sempre as portas e nos deixa passar na frente
  • Na calçada, anda sempre do lado da rua para nos proteger
  • Usa sempre relógio de pulso ou no auge do classismo, relógio de bolso
  • Usa chapéu, boina e suspensório
  • É sedutor sem ser cafa, xavequeiro, conquistador barato ou afins
  • Refinado, fala sobre artes, música, filosofia, literatura, tudo isso com charme, sem ser pedante.
  • Ao descer escadas, vai na frente para acudir a dama caso ela caia. Ao subir, vai na frente outra vez, dessa vez para não constranger a moça olhando para sua bunda ou diretamente sua calcinha se ela estiver de mini-saia
  • Tira o chapéu ao entrar em ambientes fechados, a mesa e ao cumprimentar pessoas
  • Beija a mão ao cumprimentar uma senhorita ♥
  • É sempre educado, mesmo quando alguém é mal educado ou deselegante com ele
  • Respeita e louva os mais velhos. Vê neles experiência e apreende sua boa educação
  • Ama todas as mulheres e as vê lindas em sua essência feminina
  • É muito bem asseado: unhas limpas, roupas limpas (pode parecer mentira, mas nós mulheres aguentamos cada coisa de alguns homens, afff!)
  • Valoriza a mulher, cede seu assento não para diminuí-la, mas porque a respeita em sua condição de mulher
  • Carrega as coisas dela como bolsas, sacolas, Mini PC e sombrinhas
  • Oferecer o casaco se estiver frio, e se ela não aceitar por educação, ele a cobre delicadamente
  • Escuta mais do que fala
  • Paga a conta  (SIM!)


Modernamente, podemos citar o malandro como uma adaptação tupiniquim do Dândi. Podemos também interpretar extensivamente e colocar no mesmo saco  o metrosexual e o mais coerente que é um movimento muito legal que começou na cidade Brazzaville no Congo e logo, se manifesta aqui em Paris, onde além de vários dândis liiiindos e charmants, há os também lindos Sapeurs, embaixadores do estilo Sape.

Cultivem-se meus jovens, um cavalheiro é sempre um cavalheiro.

1 Comment

Filed under Beleza, Black, Fashion

Ethymos

A palavra é:

África

Afri / Ifri/ Afer / Afariq/ Africa / Ifrîqiyâ / Ifriqech / Banû Ifran

Substantivo feminino denomina o continente africano e um país.
A origem do nome não é muito clara. Os gregos a chamavam Líbia o que na verdade era a área do atual Maghreb já  os romanos já usavam a palavra África para denominar toda a  região.


África pode ter tanto origem européia, do grego Afhriké, que significa sem frio. Na mitologia romana Africus era o nome de um dos doze ventos.  Na língua latina, Aprica (ensolarado)daria origem a África.

Tem a lenda de um rei de nome Africus de uma das três principais tribos da África antiga  fundou uma cidade e a batizou África. Com o desenvolvimento do comércio na região com os viajantes europeus, o nome se popularizou e passou a designar todo o continente negro.

A mulher de nome África é charmosa, interessante e um pouco tímida. É difícil resistir ao seu olhar ingênuo e personalidade cheia de frescor. Nos anos 60 , 4 mulheres foram batizadas com esse nome na França.

Lembrando que áfrica, substantivo comum, também denomina grande proeza,  grande feito realizado com coragem. Por exemplo: Fazer alongamento de cabelo com nó italiano é uma verdadeira áfrica ; )

Pra saber mais ( já que a redação ficou meio com preguiça de fazer a pesquisa completa o post será atualizado com mais informações sobre o tema) você pode ler esse artigo em Português e esse em Francês.

Leave a comment

Filed under Afro, Afrodescendente, Black

Bofe do Domingo

Dustin Brown

Tenista

Origem:  alemão-jamaicano

Carreira: o jogador de Tênis mais bem sucedido da Jamaica.

O que contar para a familia: fala inglês e alemão, ocupa a posição 86 no Ranking a ATP e às vezes trabalha como modelo.

É para casar? Sim, porque é fofo e amamos esportistas.

1 Comment

Filed under Beleza, Black

África 2010 destino Brasil 2014

Chega ao fim a histórica Copa do Mundo da África do Sul 2010, a primeira do continente africano (Parabéns a Espanha). Durante um mês vibramos, torcemos, choramos (uns mais que outros) olhando para a África. Viva a Copa!

A Fifa mais uma vez se destacou como grande organismo internacional. Tão importante quanto a ONU e o trabalho diplomático dos países, a FiFa conseguiu unir as pessoas em nome do esporte no maior evento da Terra.  E na África.

Nos últimos 30 dias pessoas no mundo inteiro conheceram mais sobre a África, sua história, seus costumes.  Um olhar muito diferente do que estamos acostumados a ver quando se fala dos paises africanos. E digo África, não somente África do Sul, porque essa Copa representou todo o continente, o povo preto e sua cultura comum.

Pra vocês terem idéia da visibilidade, o termo “World Cup 2010”  teve um aumento de mais de 2000% no último mês nas buscas no Google* e outros termos como “South Africa”  e “Africa Cup” tiveram cresceram no interesse do usuário em mais de 1500 e 300%, respectivamente.

Impressionante também o interesse dos próprios africanos na Copa do Mundo. Os pequenos Suazilândia e Lesoto lideram a lista de paises no interesse nas buscas. O olhar do africano voltado para a própria África  demonstra a importância social do evento.

Os  problemas sociais também foram tema nesta Copa. Violentos protestos dos trabalhadores do Mundial por aumento  de salário e os crônicos problemas de fome, miséria e subsenvolvimento.  O lado positivo é que depois dessa Copa, ninguém pode dizer que não sabe o que acontece na África, tanto a luta e o carisma do povo, o potencial de mercado, os recursos naturais,  quanto a pobreza, racismo. e a Aids A Copa é uma grande exemplo para a humanidade, podemos nos unir para mudar esse quadro de desigualdade, baixar os índices de contaminação de HIV é um primeiro grande passo que devemos a mãe África.

Durante esse mês de festa,  dias vimos na televisão homens e mulheres negras bem sucedidas, lideres mundiais, presidentes, atletas negros. Falamos sobre a beleza das mulheres, o estilo, as paisagens paradisiácas e a influência da África na cultura da humanidade, mesmo quando não nos damos conta.

Uma vez eu perguntei a um lider budista, qual era a opinião do Budismo sobre os problemas que assolam a África nos últimos séculos e que parecem não ter data para terminarem. Com um sorriso ele respondeu temos que olhar a África como o futuro da humanidade.É o inicio e a continuação dela.

Eu gostei do que vi na Copa, muita festa e união, mesmo sobre o crivo dos céticos que dizem que o dinheiro foi a grande estrela do mundial. Humanista romântica que sou, acredito que a primeira Copa da África é um dos maiores eventos da história do povo negro.  E é só o começo.

:)

* fonte: Google Insight, sem valor oficial, meramente ilustrativo.

2 Comments

Filed under Opinião

La NOIRE Vague

Fruto da ociosidade ou da real necessidade de dizer alguma coisa?

A pergunta é: Pourquoi pas la vague noire?

1 Comment

Filed under Opinião

Além de banco, Bukina Faso também tem TV

E é divertido!

Todo mundo que tem email, já ouviu falar de Bukina Faso.  Além de ser o país do famoso scam de internet, da tal grana que alguém tem para transferir para sua conta, Bukina Faso é também o cenário de uma nova série polícial apresentada na tv francesa chamada “Super Flics”, algo como os Super Tiras.

A música de abertura é bem legal, o clima é divertido e as pessoas sorriem, nem parece que é um seriado policial onde os agentes Marc e Malika combatem o crime e recebem todas as semanas celebridades do cinema e teatro bukinabé. Você pode assistir os episódios em francês na página da TV5 Monde, a televisão pública da França.

Lembrando que um outro país africano é considerado oo terceiro maior mercado de cinema do mundo: a Nigéria que só perde em número de filmes lançados por ano para Estados Unidos e a Índia.

Quem sabe agora você se anima a aceitar a falcatrua oferta do tal gerente do Banco de  Bukina Faso ;)

:: Efigenias ::

All around 

Leave a comment

Filed under Afro, Out and About, TV

Troféu Raça Negra 2009

Premiação de artistas, intelectuais, esportistas e personalidades pretas

Sharon Menezes e Cris Viana

Trofeu Raça Negra em São Paulo e mais uma vez não fui convidada :( Em breve serei uma blogueira respeitada e choverá convite vips para mim. (atualização: estamos em 2013 e até agora nenhum convite)
A imprensa não falou muito, confira a reportagem do Terra.
Pelas fotos eu notei que há uma carência absurda de maquiadores especializados em pele negra. Até eu, uma humilde multimidia wannabe me maquio melhor!
Fora esse detalhe, apoio o Troféu Raça Negra e espero que chegue a importância do BET Awards nos EUA.

ps. recomendo que vejam as fotos no Terra, leiam a reportagem mas não leiam os comentários.

Dicas de maquiagem para a pele negra

:: Efigenias ::

((aplausos))

1 Comment

Filed under Ação Afirmativa, Afrodescendente, HOT NEWS

Racismo à espanhola

Viram que eu tirei o dia para postar aqui? Já fazia tempo que tinha algumas coisas guardadas. Em breve também vou terminar de construir e personalizar o blog.

Olha isso que eu li no blog espanhol  Life in Beniajan, da cidade de Beniajan

“Aqui no somos racistas, pero…”

Já no título, ironicamente o autor desafia o status vigente de tolerância racial e com os imigrantes que infelizmente não condiz  com a realidade da Espanha. Imagine então que em vários pontos da cidade há muros com pichações de cunho racista e xenófobo e nem as autoridades, nem a população fazem nada para limpar a cidade dessa vergonha.

Só para se ter uma idéia do que isso significa, se num muro estiver pichado uma frase com erro gramatical, na Espanha é tradição apagar as palavras como se foram uma ofensa a Real Academia Espanhola.

Manter essas ofensas, como quem diz:” não sou eu que estou dizendo, mas…” é um crime, mas aparentemente, ninguém fala nada…

Leave a comment

Filed under HOT NEWS

Black or Pink

Proponho a vocês a mesma  pergunta  que eu  fiz para um amigo canadense?

“Is it possible that pink is better than black in a human being?”

Nem vou publicar a foto porque isso implicaria  ter que olhá-la outra vez e é exatamente o que eu não quero para minha  vida.
Todos me conhecem por meu espírito tolerante e progressista (até demais), mas não consigo ter ternura por essas mulheres que usam clareadores de pele para “tentarem” ficar “brancas” (o que é ser branco?).  A primeira vez que eu vi no metro de Paris não podia acreditar. “Será que ela realmente crê que alguém acredita que ela é branca ou pensam que tem um câncer de pele?” divaguei no auge do meu asco.
unfairNós mulheres somos oprimidas pelas ditaduras da beleza. Mas isso não as eximir de culpa e nem  me impede de quase vomitar quando uma conhecida de Paris também disse que estava difícil encontrar esse tal “bleaching” ou “whitening” e perguntava se no Brasil não teria para comprar.
Não honey, não tem e se depender de mim não vai ter nunca! Qual neguinha do Brasil nunca ficou horas torrando no sol pra ficar mais preta? Eu, muuuitas vezes e vou continuar assim, quanto mais preta melhor!
Pra resumir minha conversa com ela eu disse: ” Ça, c’est dégoûtant, biatch!!”
:: Efigenias ::
o tempo passa…

2 Comments

Filed under Beleza, Opinião, Produtos