Tag Archives: Buenos Aires

01/01/11 – Gael Garcia Bernal

Gael Garcia Bernal ETERNO

♥ Em 1992 eu me apaixonei pelo garoto Daniel da novela “Vovô e Eu”, apresentada  pelo SBT. Guardei por muito tempo esse sentimento puro e sincero.

♥No ano de 2004, lançamento de filme  “Diários de Motocicleta de Walter Salles, fui até o Espaço Unibanco na Avenida Paulista em São Paulo para ver o ator principal do filme e comprovar que éramos feitos um para o outro.

♥ Em 2010 li no jornal do metrô de Buenos Aires que Gael iria se mudar para cidade e tive certeza que ela lá que eu deveria morar.

Após quase 20 anos de amor, adoração e sonho…

Em 2011 eu PEGAREI o

Gael Garcial Bernal!

1 – Porque eu mereço

2- Porque eu quero

3- Porque eu não esperaria tanto tempo para nada.

:: ♥ ♥ ♥ ::

É por essas e outras que eu não desisto ♥

:: Efigenias ::
Brasilieras

Advertisements

1 Comment

Filed under Balada, Bofão, Cinema

Recordar é viver

Onde estão as modelos negras?

Segundo Naomi Campbell houve avanços, mas seguimos preteridas nas passarelas e anúncios publicitários

Em 17 de novembro de 2009, Naomi Campbell veio até esse blog reclamar da falta de modelos negras no mundo da moda. Um ano depois, nada mudou e aqui está a übermodel novamente pra dizer mais uma verdade inconveniente: a moda, assim como a sociedade, assim como o mundo é racista.

O mundo da moda ainda é racista, diz Naomi Campbell

Fiquei sabendo pelo site Black Hair & Other Stories que a revista Marie Claire tem uma sessão só pra mulheres negras. Espera um pouco, não era mais fácil diversificar um pouco as modelos e as matérias para que revista fosse uma revista feminina e não uma revista de mulheres brancas que as negras também podem ler? Fico feliz por termos espaço em uma revista que dita tendências e moda, mas como tô rabugenta hoje, permaneço com o pé atrás (que já tiver visto a revista ou tiver uma opinião, por favor escreva para a redação ou comente).

Iniciativas

A estilista e consultora de moda fofolete demais Thaís Losso (Cavalera, Sommer, Revista Capricho) por sua fez, foi ainda mais pontual e ao notar que no último Fashion Rio apenas 4 marcas desfilaram modelos negras e se questionou onde estão nossas meninas negras?

Como Walter Rodrigues não é bobo nem nada, na sua coleção de verão 2011, não colocou uma modelo negra, não colou uma cota de modelos negras, mas todas as modelos de seu desfile! Inspirado na zona da mata pernambucana todas as suas modelos eram pretas. Qual a diferença? Bem, todas são lindas e ficamos felizes, mas na prática são modelos como quaisquer outras!

Claro que essa atitude gerou um burburinho da primeira fila ao gargarejo, mas engraçado, quando todas as modelos de todas as revistas são loiras, ninguém fala nada… Mentira! Na época eu li na Lixolândia uma comentário que sim, os negros lutam contra o racismo, mas um desfile só com negras  é uma forma de preconceito contra os brancos.

Deixa eu ver se eu entendi, afinal, aqui somos um blog humanista e simpatizamos com a causa de todos os excluídos: em todos os desfiles da Fashion Rio, apenas 4 marcas tinham modelos negras, ou seja, a maioria das marcas desfilou apenas modelos brancas, muito bem. Por oposição, em um dos desfiles, todas as modelos eram negras, logo, essa marca foi racista. As outras que não tinham nenhuma modelo de nenhuma outra cor que não fosse branca, foram um mero acaso do destino. Entendi.

Sentindo na pele

A Editora do Efigenias, Luanna Teofillo, que vira e mexe tem seus dias de modelo de publicidade, em entrevista exclusiva, diz que o problema não é apenas o fato das pessoas serem racistas, mas também a falta de criatividade e profissionalismo de muitos trabalhadores da moda. “Já aconteceu mais de uma vez da maquiadora não ter maquiagem adequada para minha pele e eu ter sido excluída do editorial. Pior ainda uma vez que uma cabeleireira se recusou a arrumar meu cabelo, segundo ela, não mexia em cabelo como o meu, pode? Isso em Buenos Aires”.

E continuou: “Já na França há um fenômeno muito intrigante hoje em dia que são os modelos métisseMétisse é o termo que eles usam para um negro mestiço ou mesmo de pele um pouco mais clara como os brasileiros e caribenhos. Muitas vezes eu sei que eu não sou a mais bonita do casting, nem a mais magra,  mas como a minha pele é mais clara que das pretas maravilhosas que tem aqui, acabo tendo mais chance de pegar o trabalho”.

Perguntada se é a favor a adoção de cotas nos desfile, a blogueira é emblemática: “SIM! Sou a favor de cotas para tudo e por diversos motivos: para trazer o debate, para que as pessoas se posicionem, para mudar o quadro, para dar esperança as meninas que sonham em ser modelos. Afinal se a inclusão fosse algo natural, já teria acontecido. Numa sociedade racista, cabe a todos nós lutarmos para dar mais representatividade tanto de negros com orientais, indígenas, deficientes, mestiços,etc.”

É triste como o ser humano tenta, procura, se força para se limitar. Bem que Nietzsche me dizia que no dia que soubermos de verdade que somos o super-homem , com capacidades e inteligência infinita, teremos vergonha do somos hoje.

Leave a comment

Filed under Beleza, Fashion, Opinião

Afroporteña

Depressão Pós-Buenos Aires assola a Europa

Já foram reportados casos na França, Holanda, Inglaterra, Suécia e Alemanha.

Lembranças de uma vida porteña

Preço médio $1,5 em qualquer Kiosco

Jorge, Jorgito para los íntimos

Além do tango, da carne, da Bombonera, a Argentina também é famosa pelo alfajor. Os famosos como Havana, em geral, só são encontrados nos Havana Café, mas Jorge  cumpre bem seu papel: popular, macio, cheio de chocolate e doce de leite.

 

Tarifa $1,10- 1,25

Colectivo 111
De Palermo até a casa da Crystal na Paternal

Podem falar o que quiser, mas o sistema de ônibus em Buenos Aires funcionam muito bem. Clique na foto para conhecer o site dos Coletivos de Buenos Aires, horários e itinerários. Tem linhas noturnas  para aquelas noites que, depois da balada, não sobrou grana nem para o táxi. E lembre-se que nos coletivos somentes as escassas moedas são aceitas.

 

Godoi Cruz, 1725 Palermo Hollywood - Buenos Aires

Afterhours no Levitar
Às vezes uma simples balada não nos satisfaz e precisamos de mais. Por isso, quando estiver em Buenos Aires, Levitar antes e depois da balada. No começo é um bar com música lounge. Depois das 5 da manhã, a área externa é uma pista onde rola black music, punk rock e afins e do lado de dentro, electro, minimal esquentam a pista. O mezzanino é freestyle.


Avenida Cervino 3799 , Capital Federal

A paz e os gatos gordos do Jardim Botânico

No meio da caótica Avenida Santa Fé, El Botanico é uma ilha de silêncio  e tranquilidade. Gatos, pedestres, visitantes, fotografos, é bom almoçar de vez em quando lá dentro, só não pode sentar na grama.


Monroe 2573, Belgrano, Capital Federal

Afro Hair, a salvação em tempos de guerra

São poucos (na verdade dois) os cabelereiros afros em buenos Aires, sendo que um deles, se eu fosse você não iria de jeito nenhum , então só resta o Afro Hair que tem produtos e equipe especializada. Fazem cortes, penteados, extensões (apliques em espanhol).Guarde esse endereço, quando você menos espera nas sua temporada em Buenos aires você pode precisar…
.
.
.
.
.
Todo amor e paz para o Fede do Fauna do coletivo Zizek, um dos nossos amores porteños. Obrigada por tudo :) 

3 Comments

Filed under Efigenias, Out and About, Viagem

AfroPorteña :)

Uma listinha de 10 coisas para ver/viver/ fazer/amar em Buenos Aires:

Na minha semaninha de férias antes de cruzar o oceano, muitas saudades de Buenos Aires, das minhas amigas, da minha vidinha en la Ciudad de Niños!

Niceto Club

Balada das nossas, principalmente às quintas onde a Companhia Inestable apresenta o glamuroso e sexy Club 69.

Não existe espetáculo assim no mundo inteiro: música eletrônica, dança, teatro. Eu garanto!

*

Zizek Parties

CUMBIA, a música da natureza, dos nossos antepassados. Na real, falar que Zizek é só cumbia é limitar  o selo que já é um movimento cultural. Os melhores remix de funk carioca que escutei foi em transe nas festas Zizek, que são as mais copadas de Buenos Aires.

O crew do Zizek faz mais shows no exterior que na Argentina, então se estiver em Baires e rolar uma festa, não hesite.

Escuta aí: El Remolón Mix Tape

*

Spring

Restaurante budista vegetariano mágico. Um oásis de comida saudável em Buenos Aires. Tudo bem que não dá pra comparar com restaurante vegetariano brasileiro, mas vale muito a pena, a comida é deliciosa, honesta, clima familiar.

Mas aí você me pergunta: e a carne argentina tão famosa? Acredite, depois de um tempo comendo carne (só carne mesmo) você vai chorar de alegria ao ver agrião e palmito ou se emocionar realmente como eu quando comi caqui depois de mais de um ano.

*

Plaza Serrano

Sim, é point turístico mas é muito divertido mesmo.  A Plaza Serrano durante o dia, nos finais de semana, tem a feira de artesanatono centro da praça e as baladas que a noite fervem cheias de turistas e argentinos, nas tardes se transformam em galerias de roupas e design.

Ojo! com a qualidade das peças, vai por mim. É pra olhar, curtir, mas comprar com parcimônia. Isso se você espera que uma roupa dure mais que mais alguns meses.

À noite, a dica é o meu bar do coração Crónico que funciona 24 horas. O clima é relaxadão, a comida é boa e eles dão amendoim pra beliscar junto com a cerveja.

*

Palermo Soho

Palermina assumida não podia deixar de citar a “palermização” de Buenos Aires: tem Palermo Alto, Viejo, Novo, Hollywood…mas é em Palermo Soho que você encontra os restaurantes mais charmosos como o Lelé de Troya, o Bar Secreto (que pelo jeito e contra a minha vontade não é mais tão secreto, por isso publico aqui), o Post Bar onde tem pizza free às quintas na linda rua Thames. Caminhar sem destino pelas ruas do Soho Portenho é um programaço.

*

Podestá

Chegue cedo neste bar de Palermo Soho.  No andar térreo rock internacional e rock argentino (é tipo piada interna, mas é divertido). No andar de cima música pop, um pouco de 80’s. O som não é o mais criativo, mas o happy hour até as 2 da manhã deixa tudo muito mais interessante.

*

Malba

O Museu de Arte Latinoamericano de Buenos Aires é chic, fino, modernete, mas não se prenda só a ele. O Malba recebe exposições internacionais e nacionais de artistas consagrados, mas nas ruas de Palermo há várias galerias, muito grafite, muito design. Em BA a arte e a criatividade estão no ar, em cada esquina. Don’t belive just in the hype, look around.

Ah, e quando rola La Noche de los Museos , evento que rola em mais de 130 cidades em todo o mundo, as pessoas podem visitar os museus à noite e de madrugada e o Malba também está na roda. Boa oportunidade para dar uma pegada mais under à visita ao museu. A próxima será dia 10 de novembro.

*

La Bomba del Tiempo

A rotinas das segundas  é: começar com La Bomba del Tiempo em Abasto, bairro roots dos teatros e dos bares de tango onde está situado a Ciudad Cultural Konex, onde às segundas os tambores unem pessoas de todo o mundo e a festa fica linda demais. Bom, devo admitir que para quem está acostumado com Olodum e Timbalada, a música não engana muito não, mas as pessoas no vibe da percussão fazem a longa fila valer a pena.

Depois ir diretamente ao bar Guapachoza, na Jean Jeures, dá pra ir caminhando. É um bar, teatro, centro cultural onde você pode fazer uma pausa pra comer uma empanada e escutar boa música depois da La Bomba.

E pra finalizar a noite, a Fiesta Afrolatina que é uma das minhas festas preferidas porque é despretenciosa e o povo vai pra dançar mesmo: salsa, música colombiana, hip hop brasileiro, reggaeton, tudo junto e misturado.

*

Buquebus

Sim, uma coisa boa para fazer em Buenos Aires é sair de lá. Explico: o Buquebus é um barco que liga Buenos Aires a Montevidéo, Colonia e Punta del Leste no Uruguay. A viagem é sussa, o barco é legal só não caia no conto da  Primeira Classe. Outra coisa divertida é ver os preços praticados no Uruguay e voltar correndinho para Argentina aproveitar o câmbio se você for turista.

*

Ser feliz!

Sou sou suspeita para falar porque a Argentina é meu segundo país. A cultura é muito diferente da nossa, é difícil conhecer de verdade a sociedade argentina, mas a cidade é linda, abre as portas para os extrangeiros. É fácil encontrar um quarto para alugar, um trabalho, uma atividade, um amor. Ganhar dinheiro está fora de cogitação principalmente pelo câmbio fraquinho e a inflação letal, mas não existe uma pessoa que vá e não volte a Buenos Aires.

Que saudade de ir de bicicleta pro trabalho, convidar as amigas pra fazer a cena em casa, os asaditos, as prévias, os bosques de Palermo, ir e voltar da balada a pé, pegar taxi pra qualquer lado, o calor do metro, reclamar pra ir ao supermercado, minhas amigas queridas, os homens lindos nas ruas, purê de batata, falar espanhol, falar inglês, falar todas as línguas, La Borrachera, Levitar, lojinhas de design,tomar sol na terraza, chamar o namorado de Papi facturas, el video club,…

1 Comment

Filed under Out and About, Viagem