Category Archives: One of Us

Porquê Oprah Winfrey é meu DEUS

{DEUS}

DEUS sm (lat deus)

1 O Ser supremo; o espírito infinito e eterno, criador e preservador do Universo.

Oprah Winfrey inaugura escola para meninas na África do Sul

“My young friends, doors are opening to you – doors of opportunities that were not open to your mothers and fathers – and the great challenge facing you is to be ready to face these doors as they open.”

2 Teol Ente tríplice e uno, infinitamente perfeito, livre e inteligente, criador e regulador do Universo.

“Ela é alguém que tem a capacidade de mover montanhas e mudar mentes.”

Dana Bash

3 Cada uma das pessoas da Santíssima Trindade.

4 Indivíduo ou personagem que, por qualidades extraordinárias, se impõe à adoração ou ao amor dos homens.

5 Objeto de um culto, ou de um desejo ardente que se antepõe a todos os outros desejos ou afetos.

Oprah is basically god now

:: Efigenias ::

deus é fiel

 
obs.: Esse é um blog tolerante, humanista e budista. Este artigo trata-se de uma licença poética ou alegoria.  Não serve para ofender ou desrespeitar o deus de ninguém, ok?
Advertisements

1 Comment

Filed under Afrodescendente, Black, One of Us, Opinião

Alpha bitch

Dona Lourdes, você é uma das nossas!


:: Efigenias ::

Porra, Jean!

Leave a comment

Filed under Efigenias, Fêmea alfa, One of Us

Metalinguagem

{Do todo para a parte. Do comum ao individual}

:: Efigenias ::

Leave a comment

Filed under As Efigenias, Efigenias, One of Us

Changes

O mundo está mudando…

A revolução começou ontem.

E você, onde estará amanhã?

Michele Obama com toda certeza é uma Efigenia!

:: Efigenias ::

One of us

Leave a comment

Filed under Afrodescendente, One of Us, Out and About

OJO! na Moda

Existe moda na América Latina?

O que rola fora do eixo Paris – Milão – Nova York e orgulhosamente São Paulo?

Após um temporada em Buenos Aires, Sandra Cata volta a Colômbia onde junto com Laura Salgado e suas idéias estreia Les Recolettes – Estudio Moda Agencia de Modelos, de Bogotá para o mundo.

Empreendorismo criativo moderno, Les Recolettes buscam se destacar pelo cuidado estético, conceitual e  urbano.

Fresh and Clean.

Sandra Cata é também uma amiga querida, trabalhamos e badalamos muito em Buenos Aires. Chic e fina, é melhor observarmos de perto porque ela promete e muito!

Clique AQUI para ler a entrevista em Espanhol.

* O que e quem são Les Recolettes?

Les Recolettes Estudio Moda é um estúdio de produção e fotografia de moda que visa integrar produção de moda especializada, conceito tão pouco valorizado no mercado colombiano. Les Recolettes  é um espaço de pesquisa de moda onde além das produções, se faz pesquisas de tendência, stylehunter, coolhunting e artigos de moda para várias mídias. Com isto, provem a seus clientes um serviço completo, definido não apenas como algo estético mas sim como ramo da arte.

Les Recolettes são Sandra Guzman, produtora e jornalista de moda e Laura Salgado, fotógrafa. Sua incursão no mundo da moda começa com a marca de roupas e acessórios vintage Nela Sagu  e sua coleção Chic Vintage. Esta coleção, foi uma proposta inovadora na época, que trouxe para o mercado um recurso que ainda era desconhecido mas já tendências em cidades como Nova York, Buenos Aires e Londres. Tratava-se da reforma de peças de 2º mão e costumizá-las para que as gerações futuras pudessem utilizar.

Depois de terem sido publicadas no jornal El Tiempo, a revista Shock, GO Guia de Lazer e serem entrevistada pela expert de moda Pilar Castaño e o Body Channel, saem do país para expandir seus conhecimentos em Buenos Aires, Argentina envolvendo-se na cena bonaerense onde Laura Salgado  fotografa para Jack Daniel’s, Finlandia Vodka e agência Padre Comunicaciones e  Sandra Cata trabalha no  Buenos Aires Fashion Week (BAF) e faz algumas participações na Fox Latinoamérica sobre cores e tendências em design de interiores.

Em seu retorno a Bogotá, decidem se reunir para formar Les Recolettes Estudio Moda.

** Quais são as maiores influências de moda e estilo?

Definimos nossa influência dentro do gênero teatral e artístico onde juntamos referências visuais e estéticas como a revista Vogue Itália, que além de moda tem uma vertente cênica, assim como Eugenico Recuendo, Annie Lebowits e Ines van Lawswerde.

*** Quais são os grandes nomes da moda?

Galliano, Alexander McQueen, Coco Chanel, Elsa Schiaparelli e Yves Saint Laurent.

**** Existe moda na América do Sul?

Sim, existe a  moda, mas não há a tendência, dois conceitos totalmente distintos que no Sul não são totalmente diferenciados. Somente existe a moda no sentido da massividade.

***** Qual a diferencia da moda na América Latina e Europa e Estados Unidos?

A Europa se identifica com a nostalgia do passado: vinculam peças de diversas épocas e assim criam tendência. Nos Estados Unidos o lance é a massificação e um conceito pret-à-porter a última potência, onde a moda é um item de consumo massivo e urbano.

Na América Latina a diferença é no processo de produção e auto-identificação: suas origens fazem parte da criação e do design e agora tenta estabelecer uma base para evoluir no mundo da moda.

****** O que a moda  em São Paulo, Buenos Aires e Bogotá tem em comum?

A auto-identificação com suas origens. Tenta-se criar uma base protecionista e afirmativa através da moda.

******* Me fala sobre Les Recolettes Model Agency?

Este novo projeto quer injetar ao mercado modelos que satisfaçam as expectativas dos clientes por uma nova visão dos modelos. Nosso objetivo se baseia na exaltação dos traços, da diversidade. A idéia é abrir espaço para a diferença, fugindo do protótipo colombiano, não só pela imagem quanto pelo estilo que pode ser trash, punk, yuppies, etc…

******** Como é o homem e a mulher Les Recolettes?

São autênticos, mesclados com glamour e carisma.

********* Quais são os objetivos e os planos da marca?

Nos projetar não só a nível nacional e internacional, o que já começamos na Argentina. Queremos cobrir todos os âmbitos da moda de maneira integral e eficaz.

********** Há influência da cultura negra na estética buscada por Les Recolettes?

Sandra Cata é mestiça de negro e branco. Sempre vemos raízes e elementos afros em nossas produções. A cor, a ginga e talvez a força e a luta. A quantidade de recursos e opções da estética afro, como o style a as texturas.

Gracias amiga :) ♥

ps.: O Efigenias foi solicitado a retirar uma das imagens da matéria por “quebra de direitos autorais (?)”. Cumprimos e lamentamos prontamente.  Só não se  esqueçam de algo amiguinhos, um LINK vale mais do que mil palavras! ;)

1 Comment

Filed under Black, Fashion, One of Us

Estilo

Família Pinked-Smith na Première de Karate Kid em Londres.

Willow Smith é uma Efigenia.

1 Comment

Filed under Beleza, Cinema, One of Us

Cinema – κίνημα – kinema

Blowing mind movie!

Maria Antonieta

(Marie Antoinette, EUA-FRA, 2006)

Hong Kong Garden, Siouxsie & Banshees, trilha sonora do filme e uma das cenas mais rock n'roll da história do cinema.

A história da delfina adolescente da França na visão pop-rock de Sofia Coppola.  Roteiro, história, figurino, luxo, Jason Schwartzman, ou seja, tudo o que a gente gosta.   Destaque para a interpretação brilhante de Kristen Dunst.

Clique aqui para ver o filme online.

Leia também:

1 Comment

Filed under Cinema, One of Us

Dia do Rock

Quem conhece rock ‘n roll de verdade, se identifica com a atitude desse movimento transformador social (para mim omais importante do século passado) sabe do que eu estou falando. FELIZ DIA DO ROCK!

Um beijo a todos os rock  ‘n rollers de uma punk kid :)

The Noisetteses

Shinga Shoniwa doesn't upset the rhythm

Don't fart in my heart

Hedwig

Tina Turner

Rainha, rock chick e budista

The GO!Team

yeah yeah yeah yeah yeah

1 Comment

Filed under One of Us

Lady Grace Jones

I was always really determined to look the way I wanted to look, and I wanted to cut my hair. I wanted to look different because I was used to looking different. Because of my religious background I’d always been encouraged to look different. ”

O Über DJ Camilo Rocha escreveu uma matéria bem humorada sobre Lady Gaga e Grace Jones, cantora, modelo, atriz, ícone artístico, pop e black dos anos 80. Lendo os comentários (opiniões e lixolândia como sempre) se nota que o tema é controverso para os fãs de ambas divas.

Grace Jones nasceu na Jamaica e se mudou com sua família aos Estados Unidos aos 17 anos. Formada em Artes Cênicas pela Onondaga Community College, começou sua carreira de modelo em Nova Iorque no início dos anos 70. Era o começo da “Era das Celebridades” e ela, ostentando seu power dressing, circulava entre ricos e famoso, inclusive fazia baladinha com o nobre Andy Warhol, cineastra e fotografo da Pop Art.

A parte seu trabalho como atriz, em 1977 sua carreira se extendeu de modelo à cantora, quando foi contratada pela Island Records. Lançou mais de 10 albúns que passearam pelo pop, rock, reggae, chanson française, new wave, disco, dance, ou seja, toda gay music que amamos.

Fez parcerias com Annie Lenox, outro ícone da época (mais uma referência para Lady Gaga), Brigitte Fontaine e Luciano Pavarotti.  Além de claro, ter tido suas músicas remixadas por grandes artistas como LL Cool J e Primal Scream.

Falando em influência, não só Lady Gaga pode se dar ao luxo de ter Grace Jones como mestre. Pessoas do nível de Prince, Madonna e Michael Jackson são súditos assumidos de Jones. Respeitosamente gostaria de citar Lacraia como fruto do estilo cutting-edge de Grace Jones.

Hoje em dia, Grace Jones mantem sua carreira e sua divindade no underground. Diferente de Lady Gaga que no ground cai muito bem ao pop de mercado. Sem falar que como artista, Gaga ainda tem muito caminho para mostrar que é mais que uma modinha. Eu gosto da Lady Gaga, mas dizem que quem gosta de Lady Gaga não liga muito pra música.

Chego à conclusão que Lady Gaga só existe porque existiu Grace Jones antes dela, é sua continuação. Nos dizeres do sábio Camilo Rocha “Grace é professora, Gaga ainda é aluna. Simples assim.”

Descrita por alguns como pretensiosa e arrogante, Grace Jones sabe o símbolo que é e que sua atitude vanguardista abriu portas para muitos artistas e para as mulheres, sobre tudo negras. Uma mulher preta, andrógena, poderosa se impor e se expressar da sua maneira nos anos 70 é um ato de coragem e pioneirismo que não se compara a nada hoje em dia e disso, infelizmente, a pequena Gaga não pode se gabar.

Capa do seu último disco Hurricane, lançado pela The Vinyl Factory em vinil, edição luxo, 500 cópias cada uma pela preço simbólico de £ 300.

Leave a comment

Filed under One of Us